Início » Cultura » Dublê do filho de Saddam Hussein vira tema de filme
Cinema

Dublê do filho de Saddam Hussein vira tema de filme

'The Devil's Double' é baseado em uma história real; filme conta como um tenente do exército foi obrigado a viver como sósia do filho do ditador iraquiano

Dublê do filho de Saddam Hussein vira tema de filme
Dominic Cooper e Ludivine Sagnier em 'The Devil's Double' (Reprodução/internet)

É difícil imaginar narrativas nas quais Saddam Hussein possa emergir como um vilão do segundo escalão, mas no filme The Devil’s Double, ele é apresentado como alguém que operava dentro de seu próprio código de lealdade e ética, enquanto seu filho, o niilista Uday, é representado como o mal encarnado.

“Não estou dizendo que Saddam Hussein era um anjo, mas comparado a Uday era o que ele era. Se alguém cometesse um erro, Saddam saberia perdoar. Uday não conhecia a palavra perdão. Mesmo se você não tivesse feito nada ele poderia torturá-lo por diversão”, conta Latif Yahia, um ex-tenente do exército iraquiano, cuja história é contada no filme.

The Devil’s Double foi exibido no Festival Sundance em janeiro deste ano, e vai estrear nos cinemas norte-americanos na próxima sexta-feira, 29.  No filme, dirigido pelo neozelandês Lee Tamahori, Uday é retratado como um descontrolado, cuja vida girava em torno de festas regadas a cocaína, carros de luxo e torturas sádicas que incluíam o aprisionamento de atletas olímpicos e constantes raptos, estupros e assassinatos de mulheres, incluindo garotas em idade colegial.

A semelhança física de Yahia com o filho do ditador iraquiano fez com que ele fosse forçado, em 1987, a trabalhar como dublê de Uday, aprendendo a imitar seu modo de falar, seus maneirismos e se submetendo a pequenas cirurgias plásticas. Em suas aparições públicas como Uday, Yahia escapou frequentemente de tentativas de assassinato, até que fugiu do Iraque em 1991. Uma negativa significaria uma sentença de morte não apenas para ele, mas também para seus familiares.

A tarefa de viver Uday Hussein coube ao ator britânico Dominic Cooper, que, apesar de “desprezar cada vez mais o homem” durante o processo de pesquisa, afirma ter tentado humanizar o personagem. “Filhos de ditadores estão sempre tentando atrair a atenção de seus pais. Em muitas culturas, ser preterido é uma marca de desonra para o primogênito, e Uday nunca foi respeitado por Saddam, que escolheu seu irmão Qusay, como estrategista-chefe”, diz Cooper.

“Ele fez um trabalho brilhante”, diz Yahia, que afirma que algo entre 70% e 80% do que é visto nas telas é autêntico, e que Tamahori “capturou a essência de uma sociedade controlada por gângsteres”. “Não sei como as pessoas reagirão ao filme, mas pelo menos elas verão que posso fazer mais do que perambular por uma praia cantando”, diz Cooper, em referência a sua participação no musical Mamma Mia.

The Devil’s Double ainda não tem previsão de estreia no Brasil.

Fontes:
The New York Times - "Stepping Into the Shoes of a Psychopath"

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *