Início » Internacional » Como visitar as Linhas de Nazca, no Peru
TURISMO

Como visitar as Linhas de Nazca, no Peru

Apesar de sua grande importância histórica, o número de visitantes das Linhas é menor do que a quantidade que visita Machu Picchu

Como visitar as Linhas de Nazca, no Peru
Algumas das Linhas de Nazca se estentem por mais de 365 metros (Foto: Paul Williams)

O Peru abriga Machu Picchu, uma das sete maravilhas modernas do mundo, que atrai turistas de todas as partes. Mas se você perguntar a um peruano, a importância de Machu Picchu está em pé de igualdade com as Linhas de Nazca, a paisagem desértica adornada com misteriosas figuras geométricas, localizada na parte sul do país.

De linhas simples a formas geométricas e zoomórficas, essas reentrâncias estão espalhadas pelo árido platô de Pampas de Jumana, algumas se estendendo até 1.200 pés – quase 366 metros (quase o comprimento do Empire State Building).

Até o conselho nacional de turismo, o PromPeru, usa formas das Linhas de Nazca em sua marca oficial, com o P no Peru lembrando um dos redemoinhos icônicos.

Apesar de sua grande importância histórica, o número de visitantes das Linhas é menor do que a quantidade que visita Machu Picchu ou a capital Lima todos os anos.

O que elas querem dizer?

“Durante muito tempo, muitas gerações de peruanos e a comunidade internacional cresceram aprendendo que essas linhas se referiam a ciclos astronômicos, como constelações e movimentos das estrelas”, explica Javier Puente, especialista da empresa de viagens Incas Expert Guide.

“Mas pesquisas recentes mostraram que esse não é o caso. Eles parecem estar relacionadas a rituais e água”, destacou ele.

Puente, um nativo do Peru que agora é professor associado de história latina no Smith College, em Massachusetts, ouviu quase todas as teorias da conspiração envolvendo as Linhas de Nazca.

“Elas não foram feitos por alienígenas, isso é certo”, diz ele. Essa teoria perdurou ao longo do tempo porque muitas pessoas acreditam que algumas das figuras – em particular, uma apelidada de astronauta – parecem anacrônicas. Mas não havia tecnologia ou inteligência sofisticada necessária para produzi-las.

Para as pessoas do deserto, a água é tudo – e muitos estudiosos acreditam que as Linhas são caminhos que poderiam ter indicado onde estavam as fontes de água. Também é possível que elas fossem elementos de uma prática espiritual, com as pessoas percorrendo os mesmos caminhos várias vezes para aprofundar as linhas.

Como posso vê-las?

Primeiro, você precisará chegar ao Peru. Voe para Lima e, em seguida, dirija ou pegue um ônibus por 400km pela Rodovia Pan-Americana até a cidade costeira de Paracas. Esta comunidade ensolarada de surfistas sediou recentemente os eventos de vela durante os Jogos Pan-Americanos de 2019 e existem vários hotéis agradáveis, incluindo um resort DoubleTree by Hilton.

A melhor maneira de ver as Linhas de Nazca é do ar. Existem vários voos diários, com duração de cerca de 75 minutos cada, que partem do Aeroporto de Pisco. Se você já ficou frustrado com uma longa fila de segurança em um aeroporto, o Pisco está prestes a ser o seu novo lugar favorito. Apesar de estar totalmente equipado com toda a tecnologia moderna de um aeroporto, Pisco É basicamente vazio, exceto pelos voos de Nazca. Você pode passar pelo check-in e pela segurança em cerca de dois minutos se andar devagar.

No entanto, a facilidade do aeroporto é compensada pelos desafios do próprio voo. Apenas cerca de 10 a 12 pessoas cabem em cada avião, e todos têm um assento na janela garantido. O deserto é notoriamente ventoso ao redor das linhas e, em um pequeno avião, é mais provável que você sinta todas as flutuações. Além disso, os pilotos voam baixo para que as pessoas de ambos os lados possam ver diferentes formações de linhas e tirar fotos.

Parece um pouco como estar em um avião de acrobacias, e mesmo os mais experientes provavelmente se sentirão enjoados. Invista fortemente em um remédio anti-náusea de sua escolha antes de embarcar e procure os sacos de plástico em todos os assentos, caso precise de um. Ainda assim, sobreviver ao voo só fará você se sentir mais como um intrépido explorador quando voltar à terra firme. Especialmente depois de postar as fotos e ter o direito de se gabar.

Se você é um passageiro nervoso, há outra opção – uma torre de observação. Você não verá tantas formações, mas é um plano B sólido e com menos possibilidade de vomitar.

Por que eu deveria ir?

Como tantas maravilhas naturais ao redor do mundo, as Linhas de Nazca poderiam facilmente desaparecer ao longo de nossas vidas. Apesar de sobreviverem milhares de anos, as Linhas poderiam ser facilmente varridas em uma tempestade significativa, um risco na era da crise climática.

No entanto, a maior ameaça para as Linhas de Nazca são os seres humanos. “O perigo é urbanização, construção de estradas e modernidade. As Linhas de Nazca estão mais ameaçadas por isso do que por qualquer razão natural”, diz Puente.

Talvez seja essa impermanência – não o simbolismo – que realmente torna as Linhas de Nazca tão mágicas.

Fontes:
CNN-How to visit the Nazca Lines in Peru

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *