Início » Cultura » Turismo » Copa do Mundo movimenta turismo até mesmo em regiões que não serão sedes do mundial
Copa

Copa do Mundo movimenta turismo até mesmo em regiões que não serão sedes do mundial

Por Fernanda Dias

Copa do Mundo movimenta turismo até mesmo em regiões que não serão sedes do mundial
Ilhabela, em São Paulo, um dos destinos que o Ministério do Turismo quer melhorar

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Desde que a Fifa anunciou as 12 cidades brasileiras que vão sediar a Copa de 2014, a estudante de hotelaria e professora de educação física Cristina Lisboa vive a expectativa dos negócios que serão gerados pelo aumento no número de turistas durante a competição. Mesmo não morando em um dos municípios que irão receber os jogos oficiais, Cristina tem motivos de sobra para comemorar: a praia de Canoa Quebrada (CE), onde ela vive, é um dos 65 destinos que o Ministério do Turismo quer estruturar até 2014 e transformar em modelo de alto padrão de qualidade turística.

Canoa Quebrada, Ceará

Praia de Canoa Quebrada, no Ceará

Todos eles ficam em regiões próximas às cidades-sede do mundial. Da mesma maneira, nações vizinhas da África do Sul têm investido em campanhas de marketing para atrair o público que acompanhará a Copa de 2010.

Tanto as cidades brasileiras quanto os países africanos querem aproveitar a grande visibilidade gerada pelo campeonato de futebol mais assistido no mundo – somente o jogo final da Copa de 2006 foi visto por 715,1 milhões de espectadores – para divulgar seus atrativos a turistas, que muitas vezes sequer tinham ouvido falar nessas regiões.

Para Cristina, no caso de Canoa Quebrada, que é muito conhecida no exterior, a Copa pode proporcionar a quem já tinha vontade de conhecer a região mais um bom motivo para arrumar as malas. “Canoa é um destino praiano famoso no mundo inteiro, como Búzios e Ibiza. Quem estiver aqui por perto vai ter a oportunidade de nos visitar e apreciar nossas falésias. Acredito que vamos atrair não só os turistas que forem ver jogos em Fortaleza (CE), mas também os que vão acompanhar partidas em Natal (RN)”.

Aldo Leone Filho, presidente da Agaxtur (operadora com experiência em diversos eventos esportivos e uma das credenciadas pela Fifa para vender pacotes para a Copa da África), lembra que, embora o Brasil seja muito exaltado pelas suas praias, as regiões não litorâneas também poderão aproveitar o fluxo gerado pela Copa para mostrar seus atrativos: “É possível que destinos que já têm atratividade interna ganhem mais exposição internacional, como a região pantaneira, as chapadas e as regiões de campo. Há uma grande oportunidade para mostrar essa variedade turística brasileira, que não se restringe ao litoral”.

Paraty, Rio de Janeiro

Paraty, Rio de Janeiro

Somente durante os 30 dias da Copa de 2014, o Ministério do Turismo estima que 600 mil estrangeiros visitem o Brasil. Esse número representa mais de 10% do total de viajantes vindos do exterior durante todo o ano de 2008. Para o país poder atender a todo esse fluxo de pessoas com alto nível de excelência, os 65 destinos selecionados pelo Ministério estão recebendo, prioritariamente, investimentos técnicos e financeiros para desenvolver atividades turísticas. “Em termos de Copa, essa estrutura pronta vai fazer toda a diferença. Quem vai ao Rio de Janeiro pode ir a Angra, Parati, Búzios, Petrópolis. Quem vai a Belo Horizonte pode conhecer as cidades históricas de Ouro Preto e Tiradentes. Quem vai a Porto Alegre certamente desejará visitar Gramado. E, em todos esses lugares, terá à sua disposição uma infraestrutura modelo”, ressaltou a assessoria de imprensa do Ministério ao Opinião e Notícia.

Depois da Copa, o investimento no setor continuará forte por causa de outro grande evento esportivo: as Olimpíadas. Em 2016, a previsão é de que o número de turistas estrangeiros no Brasil seja de 10% a 15% superior ao que será registrado no ano anterior, em 2015. Um estudo encomendado pelo Ministério do Esporte estima que 120 mil empregos sejam gerados por ano até a realização das Olimpíadas e 130 mil anuais a partir de 2016. Para o governo, no longo prazo, será um ganho incalculável para a economia do Brasil. O gerente de marketing da Marsans Viagens (um dos maiores grupos de turismo do mundo), Paulo Pimentel, ressalta, no entanto, que é fundamental a qualificação das pessoas que vão ocupar esses novos postos de trabalho:

“Temos que pensar no acolhimento, em como melhorar nossa mão de obra, que ainda é muito débil no que tange a idioma, principalmente fora das capitais. É preciso que os funcionários de todos os níveis tenham domínio de idiomas. A camareira precisa saber falar inglês nem que seja o mínimo, um “Bom dia” ou “Boa noite”. Temos que criar uma cultura do serviço no Brasil”.

Apesar do enorme potencial, turismo em países africanos é prejudicado por guerras civis

Do outro lado do Atlântico, países africanos, como Namíbia, Botswana e Madagascar, já se preparam para atrair os turistas que vão acompanhar o primeiro mundial do continente. Para Aldo Leone Filho, a Copa de 2010 dará visibilidade não só para a África do Sul, mas para outros países que, se souberem aproveitar a oportunidade, têm a chance de ganhar potencial turístico. A enxurrada de informações sobre a África do Sul na mídia já tem gerado interesse pelo continente como um todo, segundo Paulo Pimentel: “Temos sentido que o nosso movimento para a África já cresceu muito: primeiramente para a África do Sul e depois para outros países”.

Os safáris são o principal atrativo de destinos como Quênia, Namíbia, Botswana e Zimbábue. Há ainda outro movimento que é o de turismo de luxo, em países como Ilhas Maldivas, Ilhas Maurício, Moçambique e Madagascar, além do tradicional turismo histórico-cultural no Egito e em Marrocos. Apesar do enorme potencial – a parcela da África no mercado de turismo mundial ainda é de apenas 5% -, muitos desses países não conseguem consolidar seu potencial turístico por causa de conflitos e guerras regionais. O Zimbábue, por exemplo, não apresentou nos últimos anos grandes projetos para atrair turistas em função do caos político e econômico em que vive. Para recuperar o tempo perdido, o Ministério do Turismo buscou arrecadar às pressas 70 milhões de dólares, que seriam investidos em diversas áreas. Desse total, cinco milhões destinam-se a uma vasta campanha de mídia para anunciar as instalações turísticas da região.

Outro país africano que viu de última hora os benefícios que a Copa poderia trazer é a Tanzânia. Somente no início de março, apenas três meses antes do mundial, a entidade responsável por promover o turismo no país lançou uma campanha para atrair torcedores para o seu circuito, que inclui a cratera de Ngorongoro, o Parque Nacional de Serengeti, o lago Manyara e o monte Kilimanjaro. Alguns desses locais ficam a apenas três ou quatro horas de voo de cidades sul-africanas. Para estimular o intercâmbio de visitantes entre os dois países antes, durante e depois da competição, uma ação conjunta entre os governos está sendo planejada. Outra parceria que os sul-africanos já estabeleceram é com o Quênia. Um acordo bilateral irá permitir aos dois países operarem em áreas estratégicas.

“É natural que você leve um turista para África do Sul e transborde para outros países. Já o Brasil é um continente. Esse transbordo vai ser entre as cidades. No máximo, vai haver um reflexo no circuito andino. Assim, o país vai colher melhores frutos do que a África do Sul”, ressalta Paulo Pimentel.

Veja os 65 destinos escolhidos pelo Ministério do Turismo para serem indutores do desenvolvimento turístico regional:

Rio Branco e Barcelos (AC)

Manaus e Parintins (AM)

Macapá (AP)

Belém e Santarém (AP)

Porto Velho (RO)

Boa Vista (RR)

Jalapão e Palmas (TO)

Maceió e Maragogi (AL)

Lençóis, Maraú, Mata de São João, Porto Seguro, Salvador (BA)

Aracati (Canoa Quebrada), Fortaleza, Jijoca de Jericoacoara, Nova Olinda (CE)

Barreirinhas e São Luís (MA)

João Pessoa (PB)

Fernando de Noronha, Porto de Galinhas, Recife (PE)

Parnaíba (DElta), São Raimundo Nonato, Teresina (PI)

Natal e Pipa (RN)

Aracaju (SE)

Brasília (DF)

Chapada dos Veadeiros, Cadas Novas, Goiânia e Pirenópolis (GO)

Corumbá (Pantanal Sul), Bonito e Campo Grande (MS)

Cáceres (Pantanal Norte) e Cuiabá (MT)

Vitória (ES)

Belo Horizonte, Diamantina, Ouro Preto e Tirantes (MG)

Angra dos Reis, Armação dos Búzios, Parati, Petrópolis e Rio de Janeiro (RJ)

Ilhabela

Ilhabela

São Paulo e ilhabela (SP)

Curitiba, Paranaguá e Foz do Iguaçu (PR)

Bento Gonçalves, Gramado e Porto Alegre (RS)

Balneário Camboriú, Florianópolis e São Joaquim (SC)

Leia mais:

Obras envolvem mais de R$ 40 bilhões

Começa a revitalização hoteleira do Rio

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. eliane gonçalves macena disse:

    Olinda no Ceara?
    e em Pernambuco so existe Porto de Galinhas? la o turismo é considerado o mais caro da regiao .talvez por isso foi escolhido?

  2. João Cirino Gomes disse:

    Vejam se isso é distribuição de renda justa!
    E Lula se vangloria por usar o FGTS do trabalhador para financiar a copa, enquanto as empresa que vão ter lucro deixam de fazer patrocínio! Quando o cidadão precisar de empréstimo terá que pagar altos juros, então quando os administradores do bem público usam o dinheiro do trabalhador, deviam lhe dar participação no lucro! Isso seria mais que justo! Desperta Brasil, precisamos acordar!
    Para distribuir riquezas e dar aumento ao trabalhador dentro do país não tem verbas, mas para fazer doações lá fora sempre tem!
    Nós brasileiros temos milhares de motivos para desacreditar que as mesmas leis, que foram feitas por um bando de canalhas, se aplicam a todos dentro do território Nacional
    Citarei parte das leis, que estão em desacordo com a democracia vigente no País! Uma é a lei da imunidade, outra é a que regulamenta os cargos públicos: pois o cidadão que presta concurso, mesmo pagando taxa de inscrição, e prestando concurso, não pode assumir cargo publico se tiver simples restrições no SERASA e SPC! E é obrigado a ver bandidos com vários processos se candidatarem e representá-lo! E o pior é que este cidadão se vê sem opção de votar em político honesto, pois a maioria tem ficha suja!
    Sem contar que: e a lei ficha limpa, que devia ser aprovada na integra, esta sendo distorcida, para beneficiar político corrupto e ladrão e enganar o Cidadão! Fiquem espertos! Esta matéria nos mostra o quanto são patriotas: Nós pagamos impostos exorbitantes e ficamos nas promessas, quanto a empregos e casas populares, mas os gringos chegam mandam, aproveitam mão de obras baratas, nossos minérios recebem benefícios em impostos, e quando não; o próprio Lula entrega nossos impostos de bandeja a eles!
    Isso não é patriotismo é muita, mas muita sacanagem!
    As riquezas de um país devem ser distribuídas entre a sua população e as leis devem ser para todos, na mesma medida! Isso seria democracia Srs. canalhas!
    José Joaquim da Silva Xavier morreu para que o povo não continuasse sendo saqueado; mas apareceu este salvador da Pátria, que doa nossos impostos a seus amiguinhos e enche o povo de promessas, mas não enxerga a saúde que esta caótica, não enxerga que falta escolas e melhores salários aos professores, e nem se importa com a segurança do povo, e nunca tem verbas para dar aumento digno aos aposentados que continuam sendo roubados, para que políticos mentirosos tenham mordomia, passeiem e gastem a vontade, façam festas e doem nosso o sangue e suor! Mas quando se trata de dar aumento digno aos pobres velhinhos aposentados, não tem verbas!
    E eles deviam ser amparados pela lei, mas esta lei,é clara quando cita que: Cada cidadão deve receber aposentadoria de acordo com o valor da sua contribuição, esta sendo desrespeitada por aqueles que a criaram! E os aposentados continuam sendo torturados e roubados!AQUELES QUA NÃO CUMPREM A LEI, SÃO MARGINAIS,POIS VIVEM AS MARGENS DA LEI, NÃO INTERESSA QUEM SEJAM!

  3. andre disse:

    sei não mas ainda acho que a FIFA vai levar a copa embora.
    nosso pais é um caos.
    sem segurança,sem estrutura, sem educação sem coisa alguma.

    o presidente ´um comedia que mente descaradamente so que os gringos la fora nao engolem as mentiras dele não, tonto so tem aqui dentro

  4. Kleidy disse:

    Bom, o pior problema da maioria dos brasileiros é não conseguir ver o potencial e grandeza do nosso país, interna e externamente! Certamente é uma ótima idéia investir TAMBÉM no turismo aqui no Brasil. Afinal, nossas terras são abençoadas e cheias de belezas naturais, e nosso país, como se diz desde o hino nacional: “é gigante por sua própria natureza”! Portanto, que invistam em nosso turismo, que pode ser uma forte fonte de renda, para o Estado e para a população! em muitos lugares, por exemplo, os profissionais de turismo ainda não são devidamente reconhecidos e as coisas simples, que nos tornam único, ainda não puderam ser reconhecidas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *