Início » Cultura » Turistas ameaçam grutas budistas
CHINA

Turistas ameaçam grutas budistas

A entrada e saída de turistas alteram a temperatura e a umidade das cavernas

Turistas ameaçam grutas budistas
Uma das cavernas das Grutas de Mogao (Foto: Divulgação/Dunhuang Academy)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na Rota da Seda, à beira do Deserto de Gobi, estão centenas de cavernas que contêm afrescos e esculturas budistas. Abandonadas por séculos, as Grutas de Mogao sobreviveram a terremotos, inundações, tempestades de areias e guerras.

Nas frágeis paredes há pinturas, algumas datadas do século IV, que retratam histórias da vida de Buda e de visões do além vida. Só que estas relíquias agora sofrem uma nova ameaça: um exército de turistas.

Segundo Wang Xudong, presidente da Dunhuang Academy, que preserva o local,  a entrada e saída de turistas o tempo todo mudam a temperatura e a umidade do lugar. Além disso, o corpo humano carrega micro-organismos, que podem atrapalhar na preservação do lugar, caso eles comecem a crescer ali.

Mais de 1,1 milhão de turistas visitam as cavernas em 2015, um aumento de 40% em apenas um ano. A Dunhuang Academy inicialmente tentou limitar o número de turistas para 3 mil por dia. Só que isto não impedia que as pessoas viessem. O limite foi então para 6 mil por dia, só que a demanda cresce na temporada de julho a outubro.

Para aliviar a pressão, os turistas precisam se cadastrar com antecedência, antes de visitar o local, precisam assistir um vídeo de 20 minutos, no centro de visitantes, sobre a história de Dunhuang e das cavernas. Depois, eles são guiados por uma seleção de 40 cavernas que são abertas ao público. É proibido tirar foto por conta do dano que o flash pode causar.

Atualmente, restam 735 cavernas e cerca de 2 mil esculturas. Cerca de 500 cavernas têm pinturas nas paredes, as que não têm eram para meditação.

Com parceiros ao redor do mundo, a Dunhuang Academy está trabalhando num projeto de arquivamento digital, fotografando as cavernas, pinturas e esculturas. A ideia é preservar as relíquias para sempre de alguma forma.

 

Fontes:
The Washington Post-China’s ancient Buddhist grottoes face a new threat — tourists

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Markut disse:

    Terrível impasse esse, provocado por uma afluência humana, involuntariamente predadora.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *