Início » Cultura » TV paga cresce, mas perde qualidade
Artigo

TV paga cresce, mas perde qualidade

Brasil superou o México e, de acordo com a ABTA, é o maior mercado do setor na América Latina. O respeito com os assinantes, porém, faz o caminho inverso e cai a cada dia. Por Solange Noronha

TV paga cresce, mas perde qualidade
Filmes com legenda em espanhol são exibidos frequentemente em canais pagos (Reprodução)

Têm sido muitas as notícias positivas a respeito do mercado de televisão paga no Brasil. Segundo a ABTA (Associação Brasileira de TV por Assinatura), que realizou feira e congresso esta semana, em São Paulo, o primeiro semestre fechou com a presença do serviço em 11,1 milhões de domicílios e a expectativa do setor é de chegar a 12,5 milhões até o fim do ano. Ou seja, batemos a Argentina e até mesmo o México, graças, entre outros fatores, ao aumento do poder aquisitivo da classe C e da competitividade no setor com a expansão das operadoras de tecnologia DTH, que transmitem o sinal via satélite e já superam as de TV a cabo, cuja cobertura é mais limitada. 

Tudo isso seria mais que ótimo caso se revertesse também em um serviço de melhor qualidade para o espectador pagante. Somos hoje os maiores consumidores do produto na América Latina, dizem os poderosos das Comunicações. A questão é: o que ganhamos com isso? Uma rápida zapeada no controle remoto mostra que até pode ter aumentado a oferta de canais, mas a programação e o público vêm sendo tratados com descuido.

Esquizofrenia linguística

Entre as reclamações mais lidas e ouvidas por aí, várias estão relacionadas ao nosso idioma. Podemos ter ultrapassado o México e a Argentina em número de assinantes, mas os responsáveis por muitas emissoras pagas parecem ainda achar que somos “hispanohablantes como nuestros hermanos”. Há também os que acreditam sermos incapazes de entender e aceitar qualquer som que não seja o do Português. E há os que creem que engolimos qualquer coisa e fazem uma miscelânea que beira a esquizofrenia linguística e inclui até o bom e velho portunhol — às vezes com erros nas duas línguas usadas na salada. Querem um exemplo? “Retratos de una obsessao” (assim mesmo, com “una” no lugar de “uma” e “obsessao” sem o til) era o filme anunciado no FX para a quinta-feira, dia 11. Embora ainda exiba atrações com som original e legendas, o canal começou a exibir sinais da febre da dublagem, mal que se alastra na TV por assinatura de forma epidêmica. Por que não seguir o exemplo da coirmã Fox e disponibilizar as três opções? Se o dinheiro está entrando, não dá para bancar o recurso da tecla SAP, mais dublagem e legendação?

Johnny Depp no papel de Jack Sparrow

Johnny Depp no papel de Jack Sparrow

As legendas, aliás, são outro problema constante: ou não aparecem, ou entram na hora errada, ou vêm cheias de erros, ou… Nem por isso os espectadores pagantes que gostam de ouvir as vozes originais dos atores (ou narradores, apresentadores etc.) devem ser privados desse prazer. A solução, mais uma vez, é pôr à disposição de quem paga tudo o que a tecnologia permite e não, simplesmente, sair dublando toda a programação. Temos bons dubladores, sem dúvida, mas mesmo os canais infantis deviam dar ao público a função SAP — afinal, fala-se muito, hoje, da necessidade de se aprender desde cedo um segundo idioma e há pais que pagam caro para garantir esse privilégio. Além disso, nem crianças deviam ser submetidas a constrangimentos como o de ver desaparecer todo o trabalho de Johnny Depp para compor o Capitão Jack Sparrow numa voz que em nada lembra o irresistível protagonista de “Piratas do Caribe”. Ou será que a língua enrolada do personagem, sempre bêbado, foi censurada pelo Disney Channel, que tem nome em inglês, mas só fala português?

O fantasma da censura

Mal que parecia morto e enterrado por estas bandas e ressuscitou com força total (vide o caso de “A serbian film”, que foi comentado aqui e parece estar longe de acabar), a censura também assola a TV por assinatura. Quem já conhecia “Entrevista com o vampiro” e viu a versão do TNT, por exemplo, sabe que toda a cena do teatro de Armand (Antonio Banderas) em Paris desapareceu, devido à nudez da mulher que é seduzida e sugada no palco, para deleite da plateia, que acredita estar assistindo a uma encenação. A tesoura não respeita obra ou público. E não há nada que justifique o corte, especialmente porque a TV paga permite o bloqueio das emissoras que os pais não querem que os filhos acessem — ou será que apenas adultos sem crianças em casa assinam os canais eróticos das operadoras?

Antonio Banderas interpreta o vampiro Armand

Antonio Banderas interpreta o vampiro Armand

Resumo da ópera tosca (não confundir com a de Puccini, por favor): se o lucro só faz crescer, que tal aumentar a qualidade na mesma proporção? Uma subtração que pode vir para somar é a dos intervalos comerciais. Quem paga merece.

Caro leitor,

Que sugestões você daria para melhorar os canais por assinatura?

Se já são pagos, eles deveriam ter tantos (e às vezes tão longos) intervalos comerciais?

O que acha das emissoras que, mesmo sendo classificadas como de filmes e séries, por exemplo, usam parte do dia para funcionar como canais de vendas?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

15 Opiniões

  1. Ivo texeira de oliveira disse:

    Nos Brasileiros pagantes da TV por assinatufa. Pela falta de reposta em questão das reclamações…
    Deveríamos como forma de protesto, cancelar os pagamentos por 2 meses, e se não melhorar…
    A solução e cancelar a assinatura.
    Afinal existem outros meios mais baratos, sem o exagero de comercias e reprises disponíveis…
    A diferença é por ser pela internet…
    Enfim..
    A união faz a força …
    Vamos protestar por uma solução…
    Afinal estamos pagando e temos nosso direito na melhoria do serviço….
    Por Filmes novos, menos comerciais etc…

  2. Nome disse:

    Hoje em dia já não importa, o Netflix vai falir as tv’s por assinatura assim como o uber vai falir os taxis

  3. Gloria disse:

    Parabéns, Solange Noronha… Disse tudo o que o telespectador pagante remoi amargamente na sua poltrona e não consegue gritar. Isto é…. uma vergonha!!!

  4. Deise disse:

    Para melhorar, programas de melhor qualidade, menos comerciais, e evitar a repetição dos filmes. É um absurdo. A gente paga todo mesmo a assinatura, para assistir a uma porção de reprises.

  5. Cinai disse:

    A TV paga esta com muitos comerciais, esta com muita dublagem. Como já mencionado aqui por que não se disponibiliza as duas coisas. Outra esta repetindo muito os filmes como foi dito aqui também isso é o que mais me incomoda. Até porque a maioria da TV aberta, os filmes passam lá também.
    Agora, o comentário da reportagem sobre corte, não concordo. Tem mesmo que ter corte em filmes que passam cedo, e isso já notei quando passa cedo tem os cortes o mesmo filme passando mais tarde já não tem. Até porque existe cenas de nudez que não precisava constar no filme para se contar a história.

  6. P.F. disse:

    Prezada equipe O&N, como podemos lutar pelos nossos direitos? Serviço com má qualidade de programação que é repetida à exaustão.

    Deveria voltar a ser sem intervalo comercial, se tiver comercial. que o assinante não pague. e não pode aumentar mais o tempo de propaganda do que já existe.

  7. Markut disse:

    Confirmo a piora de qualidade do canal pago.
    Entre uma censura caolha e uma desmedida cupidez em resultados financeiros, a consequência é uma total desconsideração à inteligência e ao bolso do tele-ouvinte.
    Falta termos, do lado do público, uma maior conscientização e pressão para exigir a melhor qualidade do produto oferecido, ou então partir para outros recursos, já disponiveis, mas ainda de pouco conhecimento.
    Não estamos , enquanto consumidores, nos utilizando dos cabiveis instrumentos de pressão para corrigir esses verdadeiros abusos e desprezo pela vontade de quem paga.
    A essa altura, diminuir a audiência seria a melhor arma, para tentar uma salutar reação.

  8. Tânia disse:

    Já não se paga pouco, pois a assinatura é cara e deveria beneficiar principalmente os assinantes que são os que mantém essas empresas, mas parece que o objetivo principal de qualquer grande empresa é exatamente explorar, cobrar sempre mais pelos piores serviços possíveis. E os canais de séries e filmes que funcionam como canais de vendas deveriam funcionar exclusivamente com séries e filmes e a parte de vendas nos canais de vendas, pois sou uma assinante e assisto os canais exclusivos de vendas quando estou procurando algo para comprar e em contrapartida, meus canais preferidos qua são os de séries e filmes, me obrigam a trocar o canal para não assistir o que não quero.

  9. Ivaniza O. de souza disse:

    E em se tratando da qualidade dos filmes, parece que apenas Hollywood faz cinema. Em outros países a HBO (e isso que é a melhorzinha) passa filmes suecos, indianos, suíços, franceses e outros menos cotados. Se é para ver porcaria de Hollywood, olho na TV aberta,baixo no computador(pirateio mesmo) ou vou ao cinema. Meu único protesto possível: não assino TV paga nem morta.

  10. Geferson Alves disse:

    TV assinatura só para os mais leigos ou desinformados.
    Hoje já é possível assistir todos os canais codificados através da Internet.
    Com acréscimos do YouTube pode-se assistir de tudo! Existem sites que disponibilizam esse serviço por apenas R$ 9,90/mês. O resto fica por conta das configurações, das Bandas Largas, placas de vídeo e etc. São opções LEGAIS bem mais em conta e mais interativas que a “velha TV por assinatura”.

  11. Lucas disse:

    Também estou notando o aumento das séries dubladas na TV paga. Eu, particularmente, detesto tudo o que é dublado. Acho que deveriam se dedicar mais à tecla SAP, assim poderiam atingir vários públicos. Ou então, deixar a programação dublada apenas para a TV aberta.
    O problema é que, com todas essas “dificuldades” que os canais criam, muita gente acha mais fácil optar pela pirataria para assistir a série ou filme favoritos.

  12. André Luiz de Jesus Silva disse:

    O fato é que com a entrada de um novo público consumidor, cujo gosto imediatamente anterior, pautava-se em favor de Fausto Silva e Silvio Santos, fica claramente mais fácil de enganar, disponibilizando um maior tempo para comerciais e efetuando os equívocos e erros acima citados.

    Não se trata, como muitos poderão pensar, de um comentário preconceituoso (até porque a minha origem social também remete ao mesmo novo grupo de consumidores que tem e muito auxiliado o fortalecimento da economia), mas eu sei, bem como outros, de que muitos membros dessa ordem estão mais interessados em ganhar dinheiro, não importa qual seja a forma, e não desejam conhecimento, apenas o usam no intuito de adquirir uma conquista (uma aprovação em concurso, por exemplo) que lhe permita se tornar um consumidor em potencial (mesmo que isso signifique comprar um carro zero em 80 prestações). Com tal conduta, a esperteza, superficialmente venerada pelas conquistas materiais imediatas, passa a evidenciar a nebulosidade da construção da crítica construtiva e da maior exigência por qualidade, que naturalmente pode ser notada através da exigência de maior qualidade das emissoras pagas. Essas mesmas empresas parecem contar com isso para “relaxarem” na prestação do próprio serviço, esperando a inércia de quem ainda não se acostumou ao alto nível.

  13. LUIZ disse:

    REALMENTE, CONCORDO COM A SOLANGE, SOBRE A CRITICA DA TV PAGA. E MAIS, É UM PRODUTO NOVO LANÇADO NO BRAIL, UM PAIS AINDA ATRAZADO NESTAS TECNOLOGIAS, ONDE MAIS UMA VEZ ESTAMOS SENDO EXPLORADOS (DENTRO DE CASA) POR EMPRESAS QUE ALEM DE FATURAREM PELOS COMERCIAIS INSERIDOS (QUE CADA VEZ ESTÁ AUMENTANDO) AINDA TEMOS QUE PAGAR PELA ASSINATURA MENSAL. É GANHAR DUAS VEZES. QUE OTIMO NEGOCIO!!
    O TIPO DE PROGRAMAÇAO E QUALIDADE DOS MESMOS ESTÁ CADA VEZ MAIS RUIM. ISTO TUDO POR QUE NÃO TEMOS FISCALIZAÇÃO E AINDA O CONFORMISMO E ACOMODAÇÃO DA NOSSA POPULAÇÃO. ATÉ BREVE.
    GRITA BRASIL!

  14. ana maria santeiro disse:

    Sou novata na TV paga e realmente me assusta o monte de anuncios da própria programação. Irritante. as traduções e dublagens muitas vezes não coincidem. Como fazer nossos direitos de pagantes?

  15. Luiz Mourão disse:

    O artigo deveria se chamar “TV paga aumenta a quantidade de comerciais”!!
    Sou usuário da Net e não aguento mais ter comerciais a cada 12 ou 15 minutos!!!
    Já não basta a fortuna que pagamos, e ainda temos que “pagar” sendo obrigados a ver comerciais a todo momento!!!!
    E de vez em quando a Net tem a audácia de me convidar a adquirir um pacote ainda mais caro!!!
    Sempre respondo que deveria ser ELA, a Net, a me pagar para ver os comerciais que surgem em profusão!!!
    O tal SporTV, então, é IMPOSSÍVEL!!!!!
    Onde está o Ministério Público que não toma uma providência em defesa do Cidadão???
    O que precisamos é de uma ASSOCIAÇÃO de Usuários de TV a cabo; UNIDOS poderemos combater esses abusos!!!
    Fica a sugestão para quem quiser, e puder, tendo os meios, criar algo do tipo…
    Vou aderir imediatamente!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *