Início » Economia » A boa adaptação de Cingapura e Coreia do Sul
negócio de estaleiros

A boa adaptação de Cingapura e Coreia do Sul

A China ainda está muito atrás da Coreia do Sul e de Cingapura no mercado de embarcações offshore

A boa adaptação de Cingapura e Coreia do Sul
Os estaleiros também são bons em cumprir prazos, vital num setor que cobra caro pelos atrasos (Reprodução/Internet/Maersk)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os coreanos e seus parceiros de Cingapura estão ganhando dinheiro no altamente competitivo mercado de estaleiros, ao se concentrar em embarcações complexas, em geral para o mercado offshore.

A China não conseguiu ir além do mercado básico de transporte de cargas a granel, no qual o custo dos navios não ultrapassa US$ 30 milhões, um valor relativamente baixo. Consequentemente, são os estaleiros chineses que estão tendo dificuldades por terem ficado restritos a um setor do mercado assolado pela capacidade excessiva, enquanto as listas de encomendas dos estaleiros da Coreia do Sul e de Cingapura estão praticamente completas. A Maersk, uma gigante da navegação dinamarquesa, estima que o mercado para plataformas de petróleo e navios perfuradores gere US$ 44 milhões por ano.

Sokje Lee, analista do J.P. Morgan em Seoul, explica que hoje em dia o negócio da construção de navios depende mais de “design e qualidade” do que de mão de obra qualificada e barata, e empresas sul-coreanas, outrora uma alternativa mais barata que sua concorrentes europeias, investiram muitos recursos para se tornarem mais tecnicamente sofisticadas. Cada um dos estaleiros sul-coreanos conta com milhares de designers e engenheiros dedicados em tempo integral. Isso os tornou líderes mundiais na nova geração de “navios ecológicos” eficientes em termos de combustíveis e com baixos custos operacionais.

Os estaleiros chineses se concentraram em oferecer aos seus clientes preços baixos e possibilidades de financiamento irresistíveis. Às vezes eles exigem apenas 10% do custo na assinatura do contrato, permitindo que os 90% restantes sejam pagos quando entregues. No entanto, essa competitividade inclemente não fez com que eles conquistassem uma fatia significativa do lucrativo mercado offshore.

Nesse caso a qualidade, eficiência e cumprimento de prazos são aspectos muito valorizados, e os estaleiros chineses pontuam mal em todas essas categorias. Um relatório recente da corretora CLSA conclui que a China ainda está “muito atrás dos sul-coreanos no mercado de embarcações offshore”. E, o que é ainda pior, a China em breve perderá a sua vantagem de preço. A CLSA estima que os custos trabalhistas nos estaleiros do país estejam aumentando entre 10% e 15% ao ano, ao mesmo tempo em que a produtividade permanece baixa.

Os dois principais estaleiros de Cingapura, Keppel e SembCorp Marine, também investiram pesadamente em qualidade e eficiência. Os cingapurianos também são bons em cumprir prazos, o que é vital em um setor em que o atraso de uma entrega pode custar mais de US$ 500.000 por dia para operadores e plataformas e navios de perfuração.

Fontes:
The Economist-The deeper the better

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *