Início » Economia » A inclinação dos chineses por produtos baratos
ECONOMIA

A inclinação dos chineses por produtos baratos

Uma empresa de comércio online chinesa faz um enorme sucesso com a venda de produtos baratos e de qualidade discutível

A inclinação dos chineses por produtos baratos
A ascensão da Pinduoduo é um exemplo de um mercado consumidor em constante expansão (Foto: Wikimedia)

Muitos consumidores chineses adoram comprar produtos de marcas caras e sofisticadas como Apple, Gucci e Tesla. Mas uma grande parte da população se entusiasma com a simples compra de um par de brincos por 40 centavos, um carregador de smartphone sem fio por US$ 1,50 e 50 rolos de papel higiênico por US$ 4,75.

Esses são os usuários do Pinduoduo, uma empresa de comércio eletrônico criada em 2015 que atraiu cerca de 350 milhões de clientes no ano passado, um número superior à população dos Estados Unidos. Após três anos de sucesso, a empresa pretende lançar ações na bolsa de valores Nasdaq nos próximos dias.

A ascensão meteórica da Pinduoduo é um exemplo de um mercado consumidor em constante expansão. Além disso, mostra a influência de uma categoria de consumidores chineses de baixa renda no comércio online.

Eles vivem em vilarejos ou em pequenas cidades distantes das megacidades e metrópoles. Apesar de não serem grandes usuários da internet, não resistem à oferta de uma pechincha, mesmo que o produto seja de qualidade inferior.

Na cidade de Foshan, no sul do país, Li Tianqiang e sua esposa vendem macarrão de arroz e outros alimentos para o café da manhã de operários de uma fábrica. Nos últimos dois anos, Li, de 45 anos, comprou quase US$ 1 mil em produtos no aplicativo Pinduoduo, o equivalente a dois meses da renda com a venda de comida. Entre os mais variados itens de sua coleção estão um bote inflável, um saco de pesca e um pequeno carro motorizado vermelho para a filha dirigir.

Às vezes, Li compra as ofertas do site apenas por curiosidade, sem nenhuma utilidade prática. Mas em outros casos, os itens são de uma qualidade tão ruim que ele os joga fora assim que chegam, como as bonecas, o violino e o teclado que comprou para a filha. No entanto, é tudo tão barato que ele não se importa com os possíveis produtos descartáveis.

Durante anos, a China foi sinônimo de fabricação em larga escala de produtos de péssima qualidade. Porém, com o aumento do poder de compra de uma crescente classe média, a preocupação com a produção de bens de consumo que possam competir com marcas mundialmente conhecidas por suas inovações aumentou.

A técnica de marketing da Pinduoduo baseia-se na rede de amigos de seus usuários. Os grupos que enviam pedidos de compras têm descontos. Os clientes que recomendam o site aos amigos são recompensados ​​com uma seleção de compras gratuitas. Pequenas janelas no aplicativo atualizam em tempo real as compras feitas pelos mais diversos clientes. Ou seja, todos estão aproveitando as ofertas imperdíveis, menos você, cliente desatento!

A dinâmica de interação com os usuários assemelha-se a um videogame, em que os jogadores reagem a estímulos e tomam decisões segundo as imagens que aparecem na tela. O crescimento rápido da empresa sediada em Xangai atraiu patrocinadores poderosos, como a empresa de capital de risco Sequoia Capital e o gigante da internet chinesa Tencent.  Agora, a empresa espera arrecadar US$ 1,4 bilhão na oferta inicial de ações na bolsa de valores, atingindo assim um valor de mercado de mais de US$ 20 bilhões.

Fontes:
The New York Times-The Latest Hot E-Commerce Idea in China: The Bargain Bin

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Aureo Ramos de Souza disse:

    Esses produtos CHIGLING que vem da China não vale nada por isso o preço é acessível mais não tem conserto e são todos descartáveis. Eu não quero e nem compro um produto chines principalmente eletrônico.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *