Início » Economia » A popularização do uso de energias renováveis na Índia
SETOR EMPRESARIAL

A popularização do uso de energias renováveis na Índia

Setor empresarial na Índia está aderindo rapidamente ao uso de energias renováveis

A popularização do uso de energias renováveis na Índia
Tendência das grandes empresas na Índia de adoção da energia limpa é irreversível (Fonte: Reprodução/Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em 2014, a fabricante de máquinas pesadas Schwing Stetter instalou um painel solar com uma potência de 100 quilowatts (KW) no telhado de sua fábrica perto de Chennai, no sul da Índia. Em razão das frequentes interrupções no fornecimento de energia elétrica, a empresa decidiu explorar outras fontes de geração de energia.

“Naquela época, o retorno do investimento demorava sete anos. Hoje, recuperamos o dinheiro investido no sistema de energia solar em cerca de cinco anos”, disse Anand Sundaresan, diretor administrativo da Schwing Stetter India. Agora, a Schwing Setter planeja expandir o uso da energia solar com a instalação de dois painéis, um de 65 KW e outro de 500 KW em sua fábrica.

Outra empresa de Chennai, a fabricante de bombas de água Grundfos Pumps, instalou um painel solar de 52 KW no telhado de sua fábrica em 2014 e, em seguida, instalou mais um de 98 KW. Os painéis fornecem 26% da demanda de energia elétrica da fábrica.

Há alguns meses, a Schwing Stetter e a Grundfos faziam parte de um pequeno grupo de empresas que haviam investido em energia renovável. Atualmente, com as tarifas de energia solar e eólica mais baratas do que os preços cobrados pelas distribuidoras de energia elétrica, o uso de energias renováveis popularizou-se.

Segundo um relatório do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) a demanda por energias renováveis no setor empresarial indiano deve atingir 10.000 megawatts (MW) até 2023.

Hoje, o consumidor paga 4,5 rupias por unidade de energia renovável, com os custos regulatórios incluídos, em comparação com uma média de 6 rupias cobradas pela rede nacional de energia elétrica. O custo de instalação também diminuiu de 60 mil rupias por KW em 2014 para 48 mil rupias.

“Há cerca de quatro anos, o uso de painéis solares representava uma economia marginal para as empresas. Por isso, só as empresas preocupadas com o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável investiam em painéis solares”, disse Andrew Hines, cofundador da fornecedora de equipamentos de energia solar CleanMax Solar.

A fabricante de cerveja United Breweries instalou um painel solar em uma cervejaria e, mais tarde, expandiu o uso dos painéis em mais seis cervejarias. Este ano, a empresa de tecnologia da informação Infosys, que já supre sua demanda de energia elétrica com 43% de fontes renováveis, aumentou sua capacidade de geração de energia limpa para mais de 20 MW em todas as suas filiais.

Apesar dos obstáculos burocráticos e de infraestrutura do governo, que dificultam o uso em larga escala das energias renováveis, a tendência das grandes empresas na Índia de adoção da energia limpa é irreversível. Hoje, no setor empresarial é quase uma exceção o uso exclusivo de fontes de geração de energia convencionais, observou Hines.

Fontes:
Quartz - Why solar is suddenly so sexy for Indian companies

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. ROBERTO HENRY EBELT disse:

    Uma maravilha que não está ao nosso alcance. Se você conseguir um financiamento para a sua residência, de 8 anos (suficiente para não ter que pagar sua conta de energia elétrica) aqui no Brasil, quando terminar de pagar o financiamento, terá que instalar um novo sistema, pois o original já deu o que tinha que dar. Simplesmente inviável, mesmo que consiga o financiamento. Cálculo baseado em consumo médio de R$1.000,00 por mês, mas válido para qualquer consumo residencial.

  2. Rodrigo Costa disse:

    Realmente não entendemos por que a energia solar não decola no Brasil. Vale muito mais a pena, ainda mais com essa quantidade de energia que vem do Sol. Fizemos um projeto com a cogera e o sistema realmente funciona.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *