Início » Economia » As seis nações mais ricas receberam menos de 9% dos refugiados
CRISE DOS REFUGIADOS

As seis nações mais ricas receberam menos de 9% dos refugiados

Segundo a ONG Oxfam, é uma ‘vergonha’ que estas nações estejam dando as costas para o sofrimento destas pessoas

As seis nações mais ricas receberam menos de 9% dos refugiados
A instituição pediu para que os governos aceitem mais refugiados e que ajudem mais as nações que estão abrigando a maioria deles (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

As seis nações mais ricas, responsáveis por mais da metade da economia mundial, abrigam menos do que 9% dos refugiados do mundo, segundo a ONG Oxfam. Os Estados Unidos, a China, o Japão, a Alemanha, a França e o Reino Unido abrigaram 2,1 milhões de refugiados no ano passado, apenas 8,88% do total global.

Por outro lado, nações mais pobres acomodaram um número maior de pessoas. “Jordânia, Turquia, Paquistão, Líbano, África do Sul assim como o território ocupado por palestinos abrigam mais de 50% dos refugiados do mundo, apesar de serem responsáveis por menos de 2% da economia global”, diz a ONG.

A instituição pediu para que os governos ricos aceitem mais refugiados e que ajudem mais as nações que estão abrigando a maioria deles.

“É uma vergonha que tantos governos estejam dando as costas para o sofrimento destas milhões de pessoas vulneráveis que fugiram de suas casas e que, na maioria das vezes, estão arriscando suas vidas para terem segurança”, disse Winnie Byanyima, chefe executiva da Oxfam.

Segundo o relatório, 65 milhões de pessoas ao redor do mundo estão sendo forçadas a fugir de suas casas por conta de conflitos, perseguição e violência.

Fontes:
Aljazeera-Six richest nations 'host just 9 percent of refugees'
Oxfam-Six richest countries host less than 9% of refugees

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *