Início » Brasil » Banco Central eleva estimativa de inflação e reduz projeção do PIB
ECONOMIA

Banco Central eleva estimativa de inflação e reduz projeção do PIB

Segundo dados do boletim semanal Focus, do BC, inflação deve ficar em 4,17%, enquanto a expansão do PIB deverá fechar em 1,47%

Banco Central eleva estimativa de inflação e reduz projeção do PIB
A previsão de cotação do dólar para 2018 também registrou aumento (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O boletim semanal Focus, do Banco Central (BC), apresentou um aumento na estimativa da inflação e uma redução na projeção do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano. O documento foi divulgado nesta segunda-feira, 27, com base em dados da última semana.

Os economistas elevaram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial do Brasil, de 4,15% para 4,17%, enquanto reduziram a projeção da expansão do PIB de 1,49% para 1,47%.

A previsão de cotação do dólar para 2018 também registrou aumento. Antes, a estimativa de valor da moeda americana era de R$ 3,70. Agora, o preço estimado para o fim deste ano é de R$ 3,75, uma redução comparada ao valor atual da moeda. Para 2019, a estimativa é de R$ 3,70.

A projeção do IPCA aumentou para 4,17% neste ano, ficando abaixo do centro da meta do BC (4,5%), mas dentro do limite inferior de 3%. O limite superior da meta é de 6% para este ano. Para 2019, a estimativa também foi elevada, passando de 4,10% para 4,12%. No próximo ano, o centro da meta é de 4,25%, com limite superior de 5,75% e inferior de 2,75%.

Em 2020, a estimativa segue em 4%, com uma tolerância de 1,5% para mais ou para menos. Enquanto isso, em 2021, a projeção passou de 3,90% para 3,92%, com uma tolerância máxima também de 1,5%, tanto para mais, quanto para menos.

A taxa básica de juros da economia (Selic), que é o instrumento usado pelo Banco Central para alcançar a meta da inflação, deve permanecer em 6,5% até o final de 2018. No próximo ano, espera-se um aumento da Selic para 8%. Quando ocorre o aumento, o objetivo é conter a demanda, causando reflexos nos preços com juros mais altos. O movimento do Comitê de Política Monetária (Copom) estimula a poupança.

Segundo a Agência Brasil, quando o Copom reduz a Selic, ele busca incentivar o consumo, diminuindo o controle da inflação. Agora, quando a taxa básica é mantida, o que deve ocorrer em 2018, indica que o Copom acredita que as alterações feitas até o momento são o suficiente para alcançar o centro da meta da inflação.

O boletim Focus é elaborado semanalmente pelo Banco Central, com base em projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Fontes:
Agência Brasil-Mercado eleva estimativa de inflação e reduz projeção do PIB este ano

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. André Vinícius Vieites disse:

    Aí é que está a canibalização do sistema, porque Bolsonaro realizará intervenções com lança-chamas no complexo do Alemão, repito esse cara se eleito for quebra o mercado financeiro devido aos seus radicalismos, ele causa temor, Bolsonaro ignorou a morte de Herzog, por isso teria que ser os pingos nos tais issss. Dentre os afetados pela crescente violência no número de homicídios no Brasil, um grupo se destaca: o dos jovens. Representando 53,7% das vítimas totais no país (ou seja, 33.590 óbitos), eles ainda são majoritariamente homens. Mais especificamente, 94,6% deles são homens. E o Bolsonaro quer falar que o lança-chamas resolve, é absurdo. Quem ignora constitucionalidade de um país e a morte de Herzog, também deveria ser ignorado nas urnas, porém isso não está acontecendo, mas eu não voto nele jamais.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *