Início » Economia » Banco Central reduz previsão de crescimento do PIB
ECONOMIA

Banco Central reduz previsão de crescimento do PIB

Previsão de crescimento do PIB para este ano caiu de 2,6% para 1,6%

Banco Central reduz previsão de crescimento do PIB
Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 28 (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Banco Central reduziu as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 1%. Em março, a previsão era de 2,6%, enquanto atualmente a estimativa é de 1,6%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 28.

“A revisão está associada ao arrefecimento da atividade no início do ano, a acomodação dos indicadores de confiança de empresas e consumidores e a perspectiva de impactos diretos e indiretos da paralisação no setor de transporte de cargas ocorrida no final de maio”, informou o Banco Central no relatório.

O setor com a melhor estimativa é o de agropecuária, que deve ter um crescimento de 1,9% – em março, a previsão era de retração de 0,3%. De acordo com o documento, a expectativa de expansão é graças ao desempenho acima do esperado no primeiro trimestre de 2018 e a sequência de projeções positivas para a produção agrícola anual.

Abaixo do setor de agropecuária encontra-se o de indústria, que tem uma estimativa de expansão de 1,6% em 2018. O resultado, porém, demonstra uma retração se comparado com o relatório de março, quando o setor tinha a projeção de crescimento de 3,1%.

Já o setor de serviços deve ter um crescimento de 1,3%, o que também representa uma retração quando comparado ao relatório de março – na época, o setor tinha a expectativa de expansão de 2,4%. Dentro da categoria, os subsetores com os melhores resultados foram o de comércio e de transporte, que preveem um crescimento de 2,7% e 2,6%, respectivamente.

A estimativa de crescimento da área de consumo das famílias também foi revista, passando 3,0%, em março, para 2,1%. O consumo do governo deve recuar 0,2%, enquanto, em março, a expectativa era de crescimento de 0,5%. A piora na arrecadação reflete o cenário de crescimento econômico menor.

 

Leia também: Arrecadação federal em maio tem melhor resultado desde 2015
Leia também: PIB avança 0,4% no 1º trimestre de 2018
Leia também: FMI melhora previsão do PIB brasileiro para este ano

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *