Início » Brasil » BB e Caixa são preparados para privatização
ECONOMIA

BB e Caixa são preparados para privatização

Presidente do BB vem tocando a iniciativa sem alarde; Comitê Nacional em Defesa da Caixa lança campanha contra a privatização

BB e Caixa são preparados para privatização
Terreno para a venda está sendo preparado desde a gestão Temer (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Banco do Brasil (BB) vem sendo sigilosamente preparado para privatização. Conforme noticiou a coluna de Vicente Nunes, do Correio Brasiliense, ações como a venda de participações e o fechamento agências e subsidiárias do banco vêm sendo tomadas no intuito de enxugar a instituição para a venda.

A iniciativa é capitaneada pelo presidente do BB, Rubem Novaes – que em pelo menos duas ocasiões já defendeu publicamente a privatização do banco. A primeira delas foi em março deste ano, durante um evento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. Na ocasião, Novaes afirmou estar “convencido que o Banco do Brasil deveria ser privatizado”. Recentemente, ele tornou a defender a privatização da instituição, em entrevista ao Globo, afirmando que, em algum momento, a venda “será inevitável”.

Novaes foi alçado por Jair Bolsonaro ao posto de presidente do BB em novembro do ano passado, quando foi nomeado também o novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Na época, ambos se comprometeram a avançar no processo de privatização, promovendo venda de ativos, corte de gastos com agências e com pessoal.

O presidente Jair Bolsonaro costuma declarar publicamente que é contra a privatização das instituições, tendo, inclusive, afirmado que o BB é “intocável”. Porém, o governo federal não vem tomando nenhuma ação contra os planos de venda que vêm sendo levados adiante.

Em alerta, o Comitê Nacional em Defesa da Caixa lançou a campanha #ACAIXAÉTODASUA, para expor o processo de privatização e alertar a população sobre os riscos que a iniciativa traz. A campanha vem sendo veiculada em anúncios no rádio, televisão e internet.

“Precisamos ter conhecimento pleno sobre este processo, notadamente do ponto de vista do impacto para os trabalhadores e para a população. O que este governo tem promovido é o fatiamento de empresas como a Caixa, com 158 anos de existência e que cumpre um papel relevante no desenvolvimento do Brasil”, disse o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, durante o lançamento da campanha em Fortaleza (CE).

Preparação do terreno

O terreno para a privatização do BB e da Caixa começou a ser preparado em 2016, durante a gestão do ex-presidente Michel Temer. A primeira parte da iniciativa foi o enxugamento das instituições.

Em janeiro de 2017, a Caixa, por exemplo, iniciou o enxugamento dos gastos com pessoal. A instituição anunciou o corte de 10 mil funcionários, medida que visava gerar uma economia de R$ 1,5 bilhão em 2018. Além disso, o estatuto da Caixa foi reformulado de forma a aprimorar a governança e reduzir a interferência do governo.

No final de 2016, o Banco do Brasil anunciou o fechamento de 402 agências e um plano de aposentadoria incentivada para 18 mil funcionários. O público alvo foi o mesmo da Caixa, pessoas em idade de se aposentar, mas que continuam trabalhando. Com a medida o BB visava economizar R$ 2,3 bilhões em 2017.

Segundo um levantamento publicado em setembro de 2018, no jornal Estado de S. Paulo, entre 2016 e 2018, o BB e a Caixa diminuíram a folha de pagamento em 21,2 mil empregados nos últimos. Com a redução, as duas instituições visavam tornar a estrutura mais parecida com a dos bancos privados e gerar uma economia de pelo menos R$ 2,5 bilhões por ano.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Carmen Baldo Correa, arquiteta disse:

    O desmanche que vem sofrendo o Brasil é fruto do capital internacional e não dos maus políticos que levamos ao poder. Estes apenas corroboram planos há muito traçados pelas multinacionais e interrompidos pelos governos populares de Lula e Dilma. Seremos reduzidos paulatinamente a exportadores de commodities completamente submissos a esses capitais abutres e nossa população extinta por falta de assistência ou reduzida cultural e intelectualmente a um Haiti. E fizemos tudo de boa mente, devido à ignorância em que fomos mantidos por gerações de imbecilizadores mais ou menos apaniguados com a política ou o entreguismo. Pobre país que não se identifica como nação.

  2. Almanakut Brasil disse:

    Lucro líquido das principais estatais do Brasil é o maior da história – (Renova Midia – 14/11/2019)

    Despelegar e desparasitar, já!

  3. Dinarte da Costa Passos disse:

    Não podia ser a melhor notícia da privatização do BB e da CEF! Os funcionários que ergueram bandeira a favor do candidato de extrema-direita que aguentem as consequências. Vão privatizar e vão fazer esta cambada de jumento (todos B#17) trabalharem nos sábados. Estou adorando ver esta corja de defensores da moral e dos bons costumes que fecharam os olhos para os governos progressistas só por que o seu “Pastor Malandro” disse que o Bozo era bom. Agora na hora que a coisa apertar corra para a casa do Pastor e peça para ele fazer uma oração para exorcitar seus problemas psicológicos que não vão ser poucos.

    Em outras palavras FODAM-SE com muita alegria…

  4. Áureo Ramos de Souza disse:

    Pelo andar da carruagem, daqui uns dias irão privatizar a AMAZONAS

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *