Início » Economia » Black Friday: um dia para os varejistas saírem do vermelho
Comércio

Black Friday: um dia para os varejistas saírem do vermelho

Saiba como o termo usado para designar o maior dia de compras nos EUA ganhou uma conotação positiva

Black Friday: um dia para os varejistas saírem do vermelho
Black Friday representa o pontapé inicial para a temporada de compras de Natal (Reprodução/SoloSyndication)

Black Friday  (“sexta-feira negra”), uma invenção americana que os brasileiros copiaram, se refere ao dia depois do feriado de Ação de Graças, quando varejistas oferecem grandes descontos em milhares de produtos. Tornou-se o maior dia do ano para consumidores e varejistas, uma espécie de pontapé inicial da temporada de compras de Natal. Embora a palavra “negro” na frente de um dia da semana raramente tenha dado uma conotação positiva a qualquer data do ano ao longo da história, o Black Friday tornou-se uma exceção a esta regra.

Black Monday ficou conhecido como o dia antes da maior quebra do mercado de ações americano da história, em 1929. O dia do “crash”, o Black Tuesday, marcou o início da Grande Depressão, que afetou todos os países industrializados no Ocidente. De acordo com o New York Times, Black Wednesday foi o termo usado pelos americanos para se referir a um dia de engarrafamentos aéreos generalizados em 1954, bem como o dia em que o governo britânico foi forçado a retirar sua combalida moeda do Mecanismo Europeu de Taxas de Câmbio em 1992. Black Thursday já designou dias de queimadas devastadoras, bombardeios e grandes derrotas esportivas, entre outras coisas desagradáveis.

Então, como é que o termo Black Friday passou a ser usado quase universalmente para descrever o consumo alegre, promoções estupendas e grandes lucros?

De acordo com uma versão da história, nem sempre foi assim.  A associação do termo com as compras após o feriado de Ação de Graças começou na Filadélfia, na década de 1960, e a princípio a referência não era positiva. A polícia local chamou o dia de Black Friday porque teve de lidar com engarrafamentos terríveis e outras mazelas ligadas às multidões de compradores que se dirigiam às lojas.

A origem do termo não agradou os varejistas, que logo procuraram dar ao dia uma conotação mais positiva: nesta segunda versão, a data tem esse nome porque consegue reverter as contas dos varejistas do vermelho (débito) para o preto (crédito).

Infelizmente, o balanço de muitos consumidores fazem o movimento contrário. Para 48% dos consumidores brasileiros, as compras parceladas nesta sexta-feira serão quitadas apenas em maio. No ano passado 39% dos brasileiros que parcelaram compras de Natal não conseguiram quitar dívidas e tiveram seus nomes bloqueados para fazer compras a prazo.

Fontes:
The New York Times - The Black Friday Transformation
TechTudo - Conhece a origem do nome 'Black Friday'?
The Economist - How Black Friday hit Britain

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *