Início » Economia » Brics encerram cúpula rechaçando políticas isolacionistas
9ª CÚPULA DOS BRICS

Brics encerram cúpula rechaçando políticas isolacionistas

Ao final da 9ª Cúpula do Brics, países membros defenderam combate ao protecionismo e destacaram a importância de uma economia mundial mais aberta

Brics encerram cúpula rechaçando políticas isolacionistas
Os cinco países se comprometeram a aprofundar seus laços financeiros, comerciais e de investimentos (Foto: Beto Barata/PR)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em um comunicado final da 9ª Cúpula dos Brics, líderes dos países que compõem o bloco econômico (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) fizeram um alerta contra as tendências e políticas isolacionistas que têm sido adotadas no mundo e que, na visão desses países, afetam de maneira negativa o mercado e o crescimento global.

“Ao notar as incertezas e os riscos que persistem, destacamos a necessidade de estar vigilante contra políticas isolacionistas que pesem sobre as perspectivas de crescimento global e a confiança dos mercados”, diz o texto do comunicado final.

Os cinco países se comprometeram a aprofundar seus laços financeiros, comerciais e de investimentos e a fortalecer sua coordenação macroeconômica. Além disso, o grupo defendeu o combate ao protecionismo, uma bandeira amplamente defendida pelo presidente americano Donald Trump, e destacou a importância de uma economia mundial mais aberta.

Na abertura da cúpula, o presidente da China, Xi Jinping, afirmou que há um grande espaço para ampliar os investimentos entre os países do Brics e pediu que o foco seja voltado para o desenvolvimento do grupo. Ele destacou que dos US$ 197 bilhões em investimentos externos feitos pelo bloco em 2016, apenas 5,7% foram destinados a negócios nos cinco países membros.

“Houve muitos progressos na cooperação nos últimos dez anos. Mas ainda temos que atingir o potencial completo” destacou Xi. Em seu discurso, o presidente chinês ainda anunciou que destinará o equivalente a R$ 240 milhões a um fundo para troca de experiências e facilitação de comércio e investimentos entre os países do bloco e US$ 4 milhões ao Banco do Brics.

O presidente Michel Temer afirmou na reunião que o bloco deve ser ágil, eficiente e financeiramente saudável. Para isso, defendeu que o banco do Brics mantenha elevados padrões de governança e de transparência. “Isso é fundamental para que continuemos a ter, sempre, uma instituição sólida, que atenda às expectativas do Brics e do mundo”, disse Temer.

Fontes:
Zero Hora-Brics faz alerta em cúpula contra 'políticas isolacionistas'
O Globo-Comunicado final de encontro do Brics condena protecionismo e políticas isolacionistas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *