Início » Economia » Calculando a pobreza da China
Linha da pobreza

Calculando a pobreza da China

Linha da pobreza chinesa é significantemente mais generosa que o padrão do Banco Mundial

Calculando a pobreza da China
Diferença de preços e inflação dificulta o cálculo da linha da pobreza chinesa (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em que situação 6,3 yuan vale mais que US$ 1,25? Conseguir solucionar esse enigma implica evitar uma confusão generalizada a respeito da linha da pobreza da China. É possível também testemunhar um raro exemplo do governo chinês sendo tratado de maneira injusta por seu próprio porta-voz midiático, a Xinhua.

A linha da pobreza chinesa está estabelecida em uma renda diária de 6,3 yuan por dia. Ontem o Conselho de Estado anunciou que 98,99 milhões de pessoas que vivem na zona rural (isto é, 10,2% do total) ficaram abaixo dessa linha em 2012. Este número foi 23,39 milhões menor que no ano anterior, uma taxa de progresso extraordinária.

No entanto, ao noticiar as boas novas, a Xinhua, a agência de notícias oficial do país, se sentiu obrigada a afirmar que a linha da pobreza da China de 6,3 yuan por dia é muito mais baixa do que os padrões mundiais.

Nesse caso a Xinhua está sendo injusta. Muito embora 6,3 yuan valham, hoje, apenas US$ 1 no mercado financeiro internacional, a linha da pobreza na China é na verdade consideravelmente mais alta que o padrão do Banco Mundial.

Os preços variam muito ao longo do tempo e entre lugares diferentes. Por exemplo, 6,3 yuan podem comprar muito mais coisas na China rural, onde os preços são baixos, do que US$ 1 nos EUA. De acordo com a mesma lógica, 6,3 yuan eram mais valiosos em 2010 do que hoje em dia, porque a inflação corroeu parte do valor do yuan nos últimos dois anos.

A fim de controlar para essas diferenças de preço, a linha da pobreza do Banco Mundial é concebida para manter o poder de compra constante ao longo do tempo e do espaço. Esta reflete o que US$ 1,25 podem comprar em um lugar (EUA) em um dado momento (2005). De acordo com o Banco, portanto, você é pobre se você consome menos do que US$ 1,25 poderia comprar nos EUA há oito anos.

De acordo com a linha da pobreza chinesa, por outro lado, você é pobre se você ganha menos do que 6,3 yuan teriam comprado na China rural em 2010. Constatou-se, surpreendentemente, que 6,3 yuan nessa parte da China nesse momento poderia comprar o equivalente a US$ 1,83 nos EUA em 2005. De modo que a linha da pobreza chinesa é significantemente mais generosa que o padrão do Banco Mundial. E a Xinhua poderia, em uma rara ocasião desse tipo, tratar o seu governo com mais generosidade.

Fontes:
The Economist-World-class poverty

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Afonso Schroeder disse:

    Onde as estatísticas são mais verdadeiras, será do gigante povo Chinês ou os dados Americanizados, chega de subestimar um povo que todos os dias do exemplo de como administrar as coisas tanto públicas como privadas, oxalá Deus ainda vai dar entendimento para divulgarem as coisas excelentes que existem no território Chinês.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    Eu não entendo pata-vina deste negócio de moedas valerem mais que outra, se U$ 1 é um dolar então R$ 1,00 é um real, porque e o Yuan é um yuan igual a um dolar, no meu entender moeda não é mercadoria que se compra e tem valor um dia eu vou entender quando eu ver o real maior que um dolar, porque só a moeda americana tem que ser mais cara que as outras?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *