Início » Economia » China impõe tarifas sobre 128 produtos dos EUA
GUERRA COMERCIAL

China impõe tarifas sobre 128 produtos dos EUA

Medida é uma resposta às sobretaxas dos EUA ao aço e alumínio e à ameaça de Donald Trump de elevar as tarifas impostas aos produtos chineses

China impõe tarifas sobre 128 produtos dos EUA
País já havia prometido tomar medidas caso os EUA iniciassem uma guerra comercial (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A China anunciou nesta segunda-feira, 2, novas taxas sobre 128 produtos provenientes dos Estados Unidos. As tarifas, que entraram em vigor imediatamente, são uma resposta às sobretaxas americanas ao aço e alumínio e ao anúncio do presidente Donald Trump de elevar as tarifas impostas a produtos chineses. A China já havia prometido tomar medidas caso os EUA iniciassem uma guerra comercial.

O Ministério de Comércio da China suspendeu as concessões tarifárias em 120 produtos americanos – como frutas e etanol -, e impôs tarifas de até 25% sobre US$ 3 bilhões em importações de oito produtos americanos – como a carne suína. As medidas aumentam a tensão comercial entre os países, que são as principais economias do mundo.

“A suspensão pela China de suas concessões tarifárias é uma ação legítima adotada sobre as regras da OMC [Organização Mundial do Comércio] para proteger os interesses da China”, afirmou o Ministério das Finanças chinês, conforme noticiou o portal G1.

A resposta chinesa às sobretaxas ao aço e alumínio atingem diretamente os produtores rurais americanos, os quais votaram massivamente para eleger Trump em 2016. A China é o terceiro maior consumidor de carne suína americana, tendo comprado, ao todo, US$ 1,1 bilhão em produtos suínos apenas dos Estados Unidos em 2017, segundo dados da Federação de Exportação de Carnes dos EUA.

Analistas, porém, apontam que a China não deseja uma guerra comercial, evitando sobretaxas em produtos de grande importação como a soja, por exemplo. Segundo Shi Yinhong, diretor do centro de pesquisa dos EUA na Universidade Renmin, em Pequim, a intenção da China é abrir um diálogo com os Estados Unidos, não fortalecer uma guerra comercial.

“O montante sujeito a tarifas não é grande, o que mostra que a China está disposta a aliviar a intensidade do conflito comercial que foi iniciado pelos EUA. Trump nos deu um tiro pesado, e a China está dando um tiro leve de volta”, explicou Yinhong, ao jornal Guardian.

De acordo com o Ministério do Comércio, a China solicitou, mais uma vez, que os Estados Unidos retirem as sobretaxas sobre o aço e o alumínio, pois, de acordo com o governo, elas violam as regras da OMC.

“Embora a China e os EUA não tenham dito publicamente que estão em uma guerra comercial, as faíscas de tal guerra já começaram a voar”, diz um editorial do jornal chinês Global Time, conforme informou o G1.

Entenda as sobretaxas ao aço e alumínio

As sobretaxas ao aço e alumínio, anunciadas no início de março pelo presidente Donald Trump, entraram em vigor no último dia 23. As novas tarifas passaram de 0,9% para 25%, no caso do aço, e de 2% para 10% para o alumínio. Segundo o presidente americano, as taxas foram aplicadas por motivos de segurança nacional, buscando fomentar a criação de postos de trabalho.

 

Leia também: EUA suspendem Brasil das sobretaxas ao aço
Leia também: O mundo diante de uma nova recessão

Fontes:
The Guardian-China retaliates against Trump tariffs with levy on US food imports
Agência Brasil-China impõe tarifas sobre 128 produtos dos Estados Unidos
DW-China contra-ataca e impõe tarifas sobre produtos americanos
G1-China adota tarifas sobre produtos dos EUA e tensão comercial aumenta

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *