Início » Economia » Chineses diminuem o consumo de macarrão instantâneo
CONSUMIDORES CHINESES

Chineses diminuem o consumo de macarrão instantâneo

A tendência de consumo na China é um reflexo da atividade econômica e da preferência dos chineses por novos tipos de alimentos

Chineses diminuem o consumo de macarrão instantâneo
As vendas de macarrão instantâneo na China estão diminuindo, o que indica que os chineses estão dando preferência a outros tipos de alimentos (Foto: Reprodução/Youtube)

As vendas crescentes de macarrão instantâneo, o popular miojo, foram durante anos um indicador confiável do apetite insaciável dos consumidores chineses. A China é o maior mercado mundial de miojo, um macarrão que contém glutamato monossódico (MSG), um aminoácido que dá um sabor mais gostoso a alimentos processados. Os supermercados vendiam mais de 40 bilhões de pacotes por ano. Agora as vendas diminuíram. Isso indica que os chineses estão dando preferência a outros tipos de alimentos.

A venda de macarrão instantâneo caiu 12,5% no ano passado, segundo um novo relatório sobre o mercado consumidor da China da empresa de consultoria Bain e da empresa de pesquisa de mercado Kantar Worldpanel. Empresas como a Tingyi, fabricante do miojo Master Kong vendido em vários lugares, como lanchonetes de estações de trem e presença obrigatória nas despensas das casas, tiveram um grande prejuízo financeiro. Os lucros da maior fabricante de macarrão instantâneo da China caíram 36% em 2015, com um total de US$256 milhões, quando os consumidores chineses não se interessaram mais por seu produto.

Ainda mais surpreendente, o volume de cerveja vendido na China, o maior consumidor do mundo, caiu 3,6% no ano passado, em grande parte por causa da redução nas vendas de marcas baratas.

Em todas as categorias de gêneros de comida e bebida, como refrigerantes e alimentos processados, o crescimento é mais lento. O relatório das empresas Bain e Kantar mostrou que o mercado para esses produtos aumentou 3,5% no ano passado, o menor crescimento em cinco anos.

O consumo de produtos acessíveis aos operários, como macarrão instantâneo e cervejas baratas, diminuiu em razão da recessão no setor industrial. A diminuição da atividade econômica afetou as vendas de muitos produtos básicos, desde pasta de dentes a alimentos processados.

Fontes:
The Economist-From noodles to poodles

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *