Início » Vida » Ciência » Cientistas correm contra o tempo para atender o aumento da demanda de alimentos
Fome mundial

Cientistas correm contra o tempo para atender o aumento da demanda de alimentos

As espécies ancestrais das colheitas mais importantes do mundo poderiam evitar a propagação de pragas na agricultura

Cientistas correm contra o tempo para atender o aumento da demanda de alimentos
De acordo com a ONU, o número de pessoas no mundo aumentará de 7,3 bilhões para 9,7 bilhões até 2050 (Foto: Pixabay)

No início da década de 1970 os fulgoromorfos, insetos fitófagos até então mais comuns no Japão, que se alimentam de plantas e transmitem uma praga que destrói as colheitas, invadiram os arrozais da Ásia e causaram uma queda devastadora na produção de arroz. No final de dez anos os prejuízos totalizaram mais de US$300 milhões, mais de US$1 bilhão em valor de hoje.

Os cientistas tentaram encontrar uma solução o mais rápido possível para combater a praga. Eles examinaram mais de 6 mil amostras de arroz e espécies selvagens de arroz até descobrirem uma amostra de uma espécie da região central da Índia chamada Oryza nivara, resistente ao vírus da doença. Ao cruzar essa espécie com cepas de arroz cultivadas, os cientistas criaram uma nova variedade de arroz resistente à praga transmitida pelo fulgoromorfo. Hoje, milhões de agricultores na Ásia cultivam um arroz originário dessa espécie híbrida.

“As variedades selvagens de diversos tipos de colheitas” — os ancestrais das espécies vegetais cultivadas — são uma arma importante na luta contra a fome no mundo. Essas espécies, além das variedades usadas pelos agricultores tradicionais, têm uma rica diversidade genética. Mas ainda precisam ser mais bem pesquisadas e com sua sobrevivência ameaçada pelo crescimento populacional e a degradação ambiental, é preciso que as pesquisas se acelerem antes que seja tarde demais.

A mudança climática provocará um aumento da temperatura, além de secas mais frequentes e, em consequência, a distribuição das pragas e doenças na agricultura sofrerá uma alteração.

O crescimento da população também pressionará o aumento da produção agrícola: de acordo com a ONU, o número de pessoas no mundo aumentará de 7,3 bilhões para 9,7 bilhões até 2050. Esse crescimento, aliado ao fato do hábito crescente de consumo de carne, significará um enorme aumento na demanda de produção de alimentos. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Cultura (FAO), o aumento será de 70% nos próximos anos.

Fontes:
The Economist - Banks for bean counters

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *