Início » Economia » Coreia do Norte diz enfrentar a pior seca em um século
Meio ambiente

Coreia do Norte diz enfrentar a pior seca em um século

Escassez de alimentos e desnutrição infantil podem ser consequências de seca histórica

Coreia do Norte diz enfrentar a pior seca em um século
A Coreia do Norte ainda enfrenta escassez crônica de alimentos, mesmo melhorando seus métodos de cultivo com a ajuda de especialistas internacionais (Foto: Wikimedia)

A Coreia do Norte está em meio a uma seca severa, aumentando os temores de agravamento da escassez de alimentos no país, onde a desnutrição infantil é um problema persistente. Grande parte da Península Coreana teve clima excepcionalmente seco nas últimas semanas, em um momento crucial para o cultivo de arroz, quando as mudas são transplantadas.

“A pior seca em 100 anos continua na D.P.R.K (sigla em inglês para o nome oficial do país, República Popular Democrática da Coreia), causando grande dano a sua área agrícola”, disse a Agência Central de Notícias da Coreia.

Não há nenhuma evidência de que essa seca seria a pior em um século. Mas os representantes das Nações Unidas expressaram sua preocupação crescente com a falta de chuva. Em abril, as Nações Unidas pediram US$ 111 milhões para suas operações humanitárias no país, dizendo que 70% das 25 milhões de pessoas da população estavam em “insegurança alimentar”.

A reportagem norte-coreana disse que mais de 30% dos arrozais do país estavam secando. O Ministério da Unificação da Coreia do Sul disse na semana passada que a produção agrícola no Norte poderia cair de 15% a 20%, comparado ao ano passado se a seca continuasse no início de julho, privando as mudas de arroz que precisam de água para criar raízes e crescer.

Décadas de desmatamento e erosão do solo, bem como a má gestão do governo, deixaram a Coreia do Norte particularmente vulnerável a secas e inundações. A fome no final de 1990 matou centenas de milhares de pessoas; outras estimativas colocam o número de mortos em até três milhões. Essa fome desencadeou uma saída de refugiados norte-coreanos que continua até hoje.

A Coreia do Norte ainda enfrenta escassez crônica de alimentos, mesmo melhorando seus métodos de cultivo com a ajuda de especialistas internacionais. O Programa Alimentar Mundial e outras agências têm pedido por ajuda humanitária a cada ano, observando que quase um terço das crianças norte-coreanas com menos de cinco anos são raquíticas por conta da desnutrição. Mas os doadores têm dado menos durante a última década, já que o país continuou seu programa de armas nucleares, além da atenção das pessoas ser atraída para os abusos do país em relação aos direitos humanos. A recusa do Norte para permitir o monitoramento adequado de distribuição de ajuda também desencorajou alguns doadores, que temem que a ajuda seja mal distribuída.

A Coreia do Sul já foi a maior fonte de ajuda humanitária do país vizinho, mas cortou o seu apoio drasticamente desde o naufrágio de um dos seus navios de guerra em 2010, já que o Sul culpa o Norte pelo ataque.

 

Fontes:
The New York Times-North Korea Says It’s Facing Its Worst Drought in a Century

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Pode ser o início do fim: o Antigo Regime caiu na Europa quando houve uma seca que provocou a fome que desencadeou a Revolução Francesa.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *