Início » Economia » A corrida contra o diesel
MEIO AMBIENTE

A corrida contra o diesel

Cidades correm para proibir veículos a diesel e conter poluição atmosférica

A corrida contra o diesel
Além dos problemas de saúde, a poluição de combustíveis fósseis gera muitos danos aos monumentos ao ar livre (Foto: Pixabay)

Na última terça-feira, 27, a Justiça alemã autorizou que suas cidades decidam se querem ou não proibir a circulação de carros a diesel. Logo após a decisão alemã, a prefeita de Roma, na Itália, Virginia Raggi, anunciou que a cidade planeja proibir os carros a diesel do centro da cidade a partir de 2024. Antes da decisão alemã, autoridades de Milão, já tinham anunciado planos de fazer a cidade ficar livre do diesel em 2030.

O carro a diesel emite menos gases do efeito estufa do que motores movidos à gasolina, mas libera muito mais óxido de nitrogênio, que também é poluente. Por isso, os carros a diesel estão entre as piores fontes de poluição atmosférica urbana.

Além dos problemas de saúde, a poluição de combustíveis fósseis gera muitos danos aos monumentos ao ar livre. Segundo um estudo do ano passado de um braço do Ministério da Cultura da Itália, 3,6 mil monumentos de pedra e 60 esculturas de bronze de Roma correm sério risco de deterioração por causa da poluição do ar.

Planos para conter a poluição

Em dezembro de 2016, os prefeitos de Paris, Madri, Atenas e Cidade do México anunciaram planos para banir de suas estradas veículos a diesel até 2025. Em janeiro de 2017, Oslo, a capital da Noruega, proibiu pela primeira vez a maioria dos carros a diesel durante o dia. Caminhões, táxis, ambulâncias, polícia e outros carros oficiais ficaram isentos e seis grandes autoestradas permaneceram abertas aos automóveis a diesel.  Mesmo assim, o tráfego diminui 30%. Em junho, a Câmara de Vereadores decidiu proibir estacionamentos no centro da cidade a partir de 2019 para desestimular o uso dos carros. No ano passado, o governo da Noruega também anunciou que vai proibir as vendas domésticas de novos carros a diesel e a gasolina a partir de 2025.

Em Londres, na Inglaterra,  a prefeitura já cobra, com algumas exceções, um pedágio para veículos que circulam no centro da capital. Desde o fim do ano passado, automóveis a diesel ou à gasolina anteriores a 2006 são obrigados a pagar praticamente o dobro da taxa, se quiserem circular no centro. O imposto vale para veículos que andaram na cidade entre 7h e 18h, de segunda a sexta.

Em Madri, na Espanha, 24 das ruas mais movimentadas do centro estão sendo redesenhadas para liberá-las do tráfego de automóveis. A ideia é transformar o centro de Madri em uma zona de pedestres nos próximos cinco anos. Além disso, as tarifas de estacionamento para veículos de alta emissão serão maiores do que para os de baixa emissão, como carros elétricos.

Em Paris, na França, veículos a diesel feitos antes de 2000 já foram proibidos. Em Copenhague, capital da Dinamarca, já há 300 quilômetros de vias exclusivas para bicicletas, mas novas ciclovias estão sendo instaladas, chegando até os subúrbios. A taxa de proprietários de automóveis em Copenhague é uma das mais baixas da Europa.

Em Helsinque, capital da Finlândia, não nenhum plano de proibição de carros a diesel num futuro próximo. Mas, o governo está investindo em um plano de dez anos para criar um sistema intermodal de mobilidade, que vai integrar todas as formas de transporte. Tudo será acessível a partir de um único aplicativo.

 

Fontes:
DW-Cidades aceleram para proibir carros a diesel
The Guardian-Rome to ban diesel cars from city centre by 2024
DW-Opinião: Justiça alemã agiu onde políticos falharam

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *