Início » Economia » Cresce oposição ao uso do carvão como fonte de energia
Energia

Cresce oposição ao uso do carvão como fonte de energia

A preocupação com a poluição ambiental tem incentivado a China a aumentar a eficiência energética e a expandir o uso do gás natural

Cresce oposição ao uso do carvão como fonte de energia
O consumo de carvão na Europa também diminuiu (Reprodução/Pixabay)

É um combustível barato, com o inconveniente de liberar gases extremamente nocivos ao meio ambiente; mas em algum momento do futuro ainda terá um custo acessível e não provocará danos ambientais. Esse era o teor da argumentação das empresas produtoras de carvão. Porém a opinião pública no que se refere à poluição e o custo elevado das novas tecnologias estão pressionando o setor.

A maior surpresa foi a diminuição do consumo da China, que queima metade do carvão do mundo. A queda da demanda em 2014 não é mais uma tendência temporária. Nos primeiros quatro meses de 2015 o consumo teve uma redução de 8% em comparação com os quatro primeiros meses do ano anterior (e as importações caíram 38%).

A preocupação com a poluição ambiental tem incentivado a China a aumentar a eficiência energética e a expandir o uso do gás natural e de fontes renováveis de energia, sobretudo, de energia eólica. A desaceleração econômica atingiu em especial a demanda do carvão de uma qualidade superior (e mais rentável) usado na produção de aço.

A produção de gás natural barato dos Estados Unidos foi outro grande golpe para os produtores de carvão. O gás natural é o combustível mais barato para a geração de energia. Do início do ano passado ao final do próximo ano, as usinas termelétricas movidas a carvão, o equivalente a mais de um décimo da capacidade energética dos EUA, irão fechar ou adotarão o gás como combustível.

O consumo de carvão na Europa também diminuiu. Segundo o instituto de pesquisa Carbon Tracker, a redução na União Europeia foi de 4,7% do total do consumo e na produção de energia elétrica o percentual atingiu 4,2% no período de 2008 a 2013.

Apesar da oposição ao seu uso como combustível, o carvão não está condenado. Sua participação como fonte primária de energia no mundo depois de atingir 30% em 2010, sofreu uma redução, mas de acordo com a previsão anual de consumo de energia da BP é provável que a proporção seja de 25% em 2035. Nos países em desenvolvimento, que privilegiam o crescimento econômico em detrimento da proteção ambiental, o carvão é indispensável: barato, abundante e confiável. A Índia, em especial, é uma grande consumidora de carvão.

 

Fontes:
The Economist-Black moods

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *