Início » Economia » Decisão sobre dívida argentina pode causar impacto global, diz FMI
Economia

Decisão sobre dívida argentina pode causar impacto global, diz FMI

Suprema Corte não atende apelo argentino e risco de calote aumenta. Decisão pode afetar outros países

Decisão sobre dívida argentina pode causar impacto global, diz FMI
Risco de calote da dívida argentina aumenta, segundo agência Standard & Poor’s (Foto:Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou nesta terça-feira, 17, que a derrota na negociação da Argentina com a Justiça dos EUA para a reestruturação de sua dívida pode trazer consequências para outros países sobre o mesmo processo.

Na segunda-feira, 16, a Suprema Corte dos Estados Unidos recusou revisar a  determinação da Justiça norte-americana de 2012, que ordena o pagamento de US$ 1,3 bilhão a credores. Estes se recusaram a participar das reestruturações da dívida em 2005 e 2010.

Caso os demais credores recorram aos tribunais, o montante a ser pago pelo país chegará a US$ 18 bilhões. As reservas de moeda estrangeira da Argentina são de US$ 28 bilhões. Com isso, subiu o risco de calote da dívida, segundo a agência Standard & Poor’s, que baixou de CCC+ para CCC- o rating argentino.

Segundo o ministro da Economia da Argentina, Axel Kicillof, o governo enviará advogados a Nova Iorque para conversar com o juiz federal Thomas Griesa, que determinou em 2012 o pagamento ao fundo NML, um dos grupos de credores que não aderiram à reestruturação.

Além disso, o governo deve adotar como estratégia promover uma nova troca de bônus para saldar os vencimentos do país em bancos nacionais, sem correr o risco de embargos judiciais.

Na segunda-feira, a presidente Cristina Kirchner garantiu que o governo não deixará de honrar seus compromissos com a dívida reestruturada. Pelo menos 8% dos títulos argentinos com risco de calote estão nas mãos de credores que não participaram das reestruturações e que podem pedir o embargo dos bens argentinos no exterior.

O alvo deles seria os US$ 900 milhões a serem pagos pelo governo, no dia 30, aos credores que aceitaram reestruturar a dívida e devem ser depositados em um banco de Nova Iorque.

Fontes:
Estadão - FMI alerta para impacto global de decisão sobre dívida da Argentina
O Globo - Argentina manobra para fazer pagamento de credores sob legislação local

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. jomabastos disse:

    A continuar assim, a Argentina terá obrigatoriamente que reestruturar profundamente a política social e econômica interna. para ter a capacidade de fazer face a uma potencial falência financeira da sua divida externa.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *