Início » Economia » Internacional » Canadenses criam tratamento para recuperar áreas afetadas pelo Parkinson
ESTUDO

Canadenses criam tratamento para recuperar áreas afetadas pelo Parkinson

O tratamento é realizado com estímulos elétricos e o estudo apresentou que os efeitos retroativos dos sinais enviados ao cérebro foram recuperados

Canadenses criam tratamento para recuperar áreas afetadas pelo Parkinson
As áreas do cérebro foram recuperadas em alguns meses (Foto: Pixabay)

Pacientes com doença de Parkinson submetidos ao tratamento com estímulos elétricos na coluna vertebral desenvolvido por uma equipe de pesquisadores canadenses voltaram a caminhar normalmente.

Mandar Jog, professor da Universidade de Western em London, Ontário, e diretor científico do Lawson Health Institute, disse à BBC News que o resultado do tratamento superara todas as suas expectativas.

“Após um longo período da doença, a maioria dos pacientes tem sérios problemas de locomoção e muitos ficam inválidos. Agora, com o tratamento recuperaram a vida ativa de passeios e viagens. É extraordinário”, observou Jog.

A doença de Parkinson reduz a capacidade de transmissão das células nervosas que coordenam os movimentos das pernas. O tratamento com estímulos elétricos recuperou o efeito retroativo dos sinais enviados pelo cérebro.

Os exames de ressonância magnética feitos antes do início do tratamento mostraram o dano causado pela doença nas áreas do cérebro, que controlam o movimento das pernas. Alguns meses depois essas áreas recuperaram sua função.

Gail Jardine, de 66 anos, um dos pacientes submetidos ao tratamento, voltou a caminhar com o marido em um parque próximo à sua casa depois de mais de dois anos presa a uma cadeira de rodas.

“Recuperei a confiança em minha coordenação motora e na firmeza de minhas pernas. Nunca mais caí e já penso em fazer passeios sozinha”, disse Gail. 

Em 2012, a dificuldade de locomoção causada pela doença de Parkinson obrigou Guy Alden, de 70 anos, diácono de uma igreja católica em London, Ontário, a se aposentar. O que mais o entristeceu foi a perda de contato com a comunidade e da ajuda espiritual dada aos presos da penitenciária local.

“Às vezes, em meio a uma multidão ou na entrada de um shopping, um movimento involuntário me impedia de andar. Tinha a sensação que todas as pessoas ao redor me olhavam, era constrangedor”, disse Alden à BBC.

“Após o tratamento voltei a andar como antes. Passei férias com minha esposa em Maui, no Havaí, e fizemos passeios pelas ruas estreitas e íngremes da ilha sem problemas.”

Segundo Beckie Port, pesquisadora da Parkinson’s UK, uma instituição britânica dedicada à pesquisa sobre a doença de Parkinson, o resultado do tratamento é extremamente promissor e tem o potencial de melhorar a qualidade de vida de pessoas que, em razão de limitações físicas, perdem o prazer do convívio social.

Fontes:
https://www.bbc.com/news/health-47803496-Parkinson's results beyond researchers' wildest dreams

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Vânia disse:

    Este é o tipo de descoberta que devia rapidamente ser divulgada e pensada na possibilidade de beneficiar toda e qualquer pessoa, pois existe milhões de pessoas no mundo sofrendo deste mau.

  2. Iracema disse:

    Essa informação deveria ser divulgada com seriedade a todos os meios de comunicação pois existe muita gente sofrendo desse mal cruel.Já faz mais de 200 anos que ele existe, espero que seja verdadeira essa descoberta, com certeza vai beneficiar não só o doente como os familiares.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *