Início » Economia » Internacional » Carlos Ghosn é formalmente acusado de fraude no Japão
EX-CEO DA NISSAN

Carlos Ghosn é formalmente acusado de fraude no Japão

Ghosn é acusado de ocultar parte do salário para burlar leis de instrumentos financeiros. Com a medida, em cinco anos, ele deixou de declarar US$ 44,5 milhões

Carlos Ghosn é formalmente acusado de fraude no Japão
Ghosn está detido desde o dia 19 de novembro (Foto: Norsk Elbilforening/Flickr)

O ex-CEO da Nissan Carlos Ghosn foi formalmente acusado por promotores japoneses nesta segunda-feira, 10, de fraude financeira por ocultar parte de seu salário em relatórios apresentados à montadora, ao longo de cinco anos. Com a medida, Ghosn burlou as leis de instrumentos financeiros e deixou de declarar US$ 44,5 milhões.

Além do ex-diretor, a Nissan também está sendo processada, por ter submetido os relatórios com irregularidades aos agentes reguladores.

Dessa forma, Ghosn pode permanecer preso até o próximo dia 30 de dezembro, caso o tribunal aprove. Já a Nissan se vê no centro de um grande escândalo, que coloca a presidência de Hiroto Saikawa em risco. Isso porque as acusações contra a empresa levam em conta o último ano fiscal, quando Saikawa se tornou o presidente-executivo, substituindo Ghosn.

Ghosn está detido desde o dia 19 de novembro. Ele teria declarado menos do que realmente havia recebido. Em nota, a montadora havia informado que o ex-CEO “declarou durante anos renda inferior ao valor real”. Estima-se que 99% das acusações criminais no Japão terminam em condenação.

Nesta segunda-feira, os promotores declaram que as prisões de Ghosn e de Greg Kelly, conselheiro próximo ao ex-CEO da montadora, seriam mantidas. A acusação aponta que o ex-presidente fraudou o pagamento de US$ 38 milhões até março de 2018.

O advogado de Ghosn não foi encontrado para comentar a acusação, mas o ex-CEO já havia afirmado anteriormente que não ocultou intencionalmente seus pagamentos em documentos financeiros.

 

Leia mais: Carlos Ghosn é afastado da presidência do conselho da Nissan

Fontes:
Financial Times-Tokyo prosecutors charge Nissan and Ghosn for understating pay

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *