Início » Vida » Ciência » Estudo dá passo importante contra HIV
SAÚDE

Estudo dá passo importante contra HIV

Pesquisadores ‘treinaram’ anticorpos contra o vírus. Este é um passo importante para o desenvolvimento de uma futura vacina

Estudo dá passo importante contra HIV
Micrografia eletrônica do vírus HIV (Foto: CDC)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um dos maiores obstáculos para a criação de uma vacina contra o vírus HIV é a alta taxa de mutação do vírus, que faz com que sua estrutura mude tão rápido que o sistema imune não é capaz de combatê-lo. No entanto, um estudo liderado por um imunologista brasileiro deu um passo importante para o futuro desenvolvimento de uma vacina.

No novo estudo publicado na revista Cell and Imunity, os pesquisadores “treinaram” o sistema imune de camundongos transgênicos para produzir anticorpos capazes de reconhecer várias formas diferentes dos vírus. “Eles [os anticorpos] não capturam apenas a primeira ou a segunda versão do vírus que eles encontram. Eles retêm a capacidade de capturar todas as mutações do vírus com as quais já tiveram contato”, explicou o imunologista brasileiro Michel Nussenzweig, da Universidade Rockefeller, nos Estados Unidos, que lidera o estudo.

Quando são produzidos naturalmente, os anticorpos não têm potência suficiente para curar a infecção sistêmica. Porém, se forem induzidos por uma vacina, eles podem ser fortalecidos o bastante para evitar a infecção, segundo o imunologista.

Os camundongos utilizados não produziam todo o espectro de anticorpos normalmente encontrados no sistema imune, mas apenas precursores de uma classe de anticorpos chamada PGT121, que reage com diversas linhagens do HIV. O imunologista William Schief, outro autor do estudo, liderou a equipe que criou uma série de estruturas feitas com proteínas do vírus HIV, para testá-las uma a uma e “ensinar” os anticorpos a reconhecerem, passo a passo, as múltiplas formas do vírus. O processo funcionou e a equipe produziu com sucesso um anticorpo amplamente neutralizante em camundongos. Ou seja, o anticorpo era capaz de atacar todas as formas do vírus com as quais já teve contato.

“Fizemos isso em um modelo de estudos em camundongos muito específico”, disse Nussenzweig. “Precisamos começar de algum lugar. Esse é um grande passo – nós mostramos que é possível guiar a maturação dos anticorpos, com base em linhagem inicial humana, para produzir anticorpos amplamente neutralizantes por vacinação”.

Fontes:
Estadão-Estudo descreve método para 'treinar' anticorpos contra o HIV

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *