Início » Economia » Internacional » Facebook divulgou informações de usuários para Netflix e Spotify
MENSAGENS PRIVADAS

Facebook divulgou informações de usuários para Netflix e Spotify

Acordo feito com a rede social dava às plataformas acesso a mensagens privadas de usuários

Facebook divulgou informações de usuários para Netflix e Spotify
'Os parceiros tiveram acessos às mensagens? Sim', admitiu a empresa em um comunicado (Foto: Pixabay)

Com um ano repleto de escândalos com relação à divulgação de dados de usuários, o Facebook reconheceu mais uma denúncia. A rede social admitiu que as empresas Netflix e Spotify tiveram acesso a mensagens de alguns usuários da plataforma.

O jornal New York Times divulgou a nova polêmica a envolver o Facebook, que já tentava se explicar sobre como forneceu dados de usuários para parceiros de mercado em 2017.

A empresa reconheceu um acordo feito com as plataformas Netflix e Spotify e com o Royal Bank of Canada que dava a estes acesso a conteúdosde usuários e mensagens privadas. Pelo acordo, elas poderiam ler o conteúdo, excluir ou enviar mensagens ao usuário.

De acordo com dados, o Spotify tinha acesso às conversas de pelo menos 70 milhões de pessoas. O documento que denunciou o acordo revela também que cerca de 150 empresas têm pactos semelhantes com o Facebook. Empresas como a Amazon, Microsoft, Sony e Yandex tinham acesso aos nomes e endereços eletrônicos dos usuários.

A rede social se justificou, alegando que essa “troca de informações” servia para facilitar o uso conjunto das plataformas. “Os parceiros tiveram acessos às mensagens? Sim. Mas as pessoas tinham de concordar explicitamente com isso no Facebook ao usar o recurso de mensagens. Por exemplo, o Spotify. Depois de acessar sua conta no Facebook, através do Spotify, você pode enviar e receber mensagens sem sair do aplicativo. Nossa API [sigla em inglês para Interface de Programação de Aplicações] forneceu aos membros acesso às mensagens do usuário para aprimorar esse tipo de função”, comunicou a rede social.

A Netflix e o Spotify declararam não ter conhecimento sobre o acesso tão profundo dos dados. Já a Amazon se defendeu, alegando que o acordo não violava a política de privacidade, pois os clientes concordaram em vincular as informações. A Microsoft afirmou ter tomado as medidas necessárias para garantir que os dados obtidos não fossem usados para criar perfis utilizados em publicidade.

Ano com polêmicas

No início de 2018, o Facebook enfrentou uma das maiores adversidades: o escândalo Cambrigde Analytica, que revelou que dados de usuários foram compartilhados com a empresa, provocando uma série de mudanças na plataforma.

Em setembro, uma falha deixou 50 milhões de contas expostas, além de 6 milhões de usuários com fotos privadas terem sido expostos.

Diante dos fatos, acionistas da empresa chegaram a pedir o afastamento de Mark Zuckerberg da presidência do Facebook. Ao mesmo tempo, milhares de usuários começaram a debandar da rede social, através do movimento #DeleteFacebook.

Fontes:
Tecmundo-Facebook admite ter deixado Spotify e Netflix lerem mensagens dos usuários

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *