Início » Vida » Ciência » Lítio na água potável pode reduzir riscos de demência
PESQUISA

Lítio na água potável pode reduzir riscos de demência

Pesquisa dinamarquesa sugere que níveis elevados de lítio em água potável podem estar associados a uma incidência menor de demência

Lítio na água potável pode reduzir riscos de demência
Pesquisa foi feita com mais de 800 mil pessoas (Foto: Pixabay)

Uma pesquisa dinamarquesa analisou a relação entre o lítio na água e a ocorrência de demência nas pessoas em mais de 800 mil voluntários. O lítio é comumente encontrado na água de torneira, por exemplo.

Apesar de o estudo não ter conclusões concretas, ele pode ajudar na busca de respostas para a prevenção de problemas como a demência e o mal de Alzheimer. O texto dos pesquisadores da Universidade de Copenhague foi publicado no periódico JAMA Psychiatry. Eles analisaram os registros médicos de 73.731 dinamarqueses com demência e 733.653 sem a doença. A água corrente também foi testada em 151 áreas do país.

Níveis moderados de lítio (entre 5,1 e 10 microgramas por litro) aumentavam o risco de demência em 22%, em comparação com níveis baixos (menos de 5 microgramas por litro). Enquanto isso, aqueles que beberam água com níveis elevados de lítio (acima de 15 microgramas por litro) tinham risco 17% menor de desenvolver a doença. “A exposição mais alta e de longo prazo ao lítio na água potável pode estar associada com uma incidência menor de demência”, disseram os pesquisadores.

Apesar de o lítio já ser conhecido por seus efeitos protetores em diversos processos biológicos cerebrais – ele já é usado no tratamento da bipolaridade, por exemplo – ainda é cedo para fazer qualquer tipo de recomendação em relação à água. “Antes de fazer qualquer recomendação desse tipo, ainda precisamos estudar os efeitos das microdoses de lítio ao longo do tempo”, disse o médico brasileiro Wagner Gattaz, que já testou o lítio em pessoas com transtorno cognitivo leve e identificou que a substância tinha efeito benéfico.

Além do mais, é preciso levar em consideração que não é só a água que pode interferir no resultado da pesquisa. “Essa associação não significa necessariamente que o lítio em si reduz os riscos de demência. Pode haver outros fatores ambientais na área que influenciem os riscos de demência. De qualquer modo, o resultado é interessante e vai impulsionar mais pesquisas quanto a se os níveis de lítio na dieta ou na água potável podem modificar o risco de demência”, explicou Tara Spires-Jones, professora do Centro de Descobertas de Ciências do Cérebro, da Universidade de Edimburgo, na Escócia.

Fontes:
BBC-Lítio em água potável reduz riscos de demência, sugere estudo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Natanael Ferraz disse:

    Adoro estudos:
    Alguém avise aos dinamarqueses que o cloreto de magnésio (P.A) tem o mesmo efeito, é mais barato que o Lítio e não tem contra-indicação.

  2. laercio disse:

    Enquanto o mundo se desdobram em descoberta o Brasil tem uma legislação que permite mulheres serem “estupradas” em locais públicos… Não produzimos um rádio de pilha enquanto os robôs estrangeiros estão compartilhando nossas vagas de trabalho; os jovens que perdem as vagas ou não são qualificados acabam por queimar axônios nas praças da cidade aumentando ainda mais o número de jovens cretinos na nossa massa produtiva.
    O Brasil está se afundando num buraco que não permitirá volta…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *