Início » Economia » Internacional » O embate sobre a temperatura do ar-condicionado no trabalho
ESTUDO

O embate sobre a temperatura do ar-condicionado no trabalho

Estudo publicado em uma revista científica alemã demonstrou que homens e mulheres preferem trabalhar em temperaturas diferentes

O embate sobre a temperatura do ar-condicionado no trabalho
A temperatura pode afetar não apenas o conforto, mas o desempenho diário das pessoas (Foto: Pixabay)

Sempre existe uma batalha dentro dos escritórios, na qual uma parte das pessoas acha que está quente demais, enquanto, a outra, frio demais. Porém, um estudo comprovou que existe uma diferença entre o progresso do homem e da mulher devido à divergência de temperatura dentro do ambiente de trabalho.

Por razões biológicas, as mulheres preferem trabalhar em um espaço mais quente. Já os homens optam por locais mais frescos por gastarem mais energia enquanto trabalham, ou seja, ficam com os corpos mais quentes ao longo do tempo.

Um estudo publicado na Plos One, revista científica da Alemanha, baseou os resultados em 543 pessoas, que responderam a testes verbais, matemáticos e cognitivos. Todas as perguntas foram realizadas em temperaturas diferentes.

O resultado apontou que as mulheres tiveram melhores resultados em tarefas cognitivas quando estavam em ambientes mais quentes, enquanto os homens se saíram melhor em ambientes mais frios.

“Há toda essa evidência de que as mulheres gostam de temperaturas mais altas, e há alguns artigos dizendo que a temperatura do escritório é sexista. Nós pensamos: ‘Isso é uma coisa real ou é apenas conforto?’ ”, questionou Agne Kajackaite, coautora do estudo.

O estudo também revelou que as mulheres obtiveram melhores resultados nas outras tarefas à medida que a temperatura aumentava, o oposto do resultado masculino. Para cada aumento de um grau Celsius, as mulheres responderam aproximadamente 1,75% mais questões corretas de matemática e 1% mais perguntas verbais corretamente. Já os homens responderam cerca de 0,6% menos corretamente em ambas as categorias.

Segundo Kajackaite, qualquer diferença é importante, principalmente porque as preferências sobre as temperaturas variam em mais de um grau.

Em contrapartida, o estudo não garante que toda mulher têm um desempenho melhor no calor, ou que cada homem seja mais aguçado quando está exposto em temperaturas mais baixas.

“A temperatura pode afetar não apenas o conforto, mas o desempenho diário das pessoas”, diz ela. “Se você se sentir mais confortável no escritório com seus cinco suéteres, ou sem seu suéter, isso também pode afetar seu desempenho, então você deve levar isso a sério”, afirmou Kajackaite

Fontes:
Time-The Debate Over Office Temperatures Just Heated Up, Thanks to a New Study

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *