Início » Economia » Internacional » Pílulas para engordar viram moda no Sudão
RISCO À SAÚDE

Pílulas para engordar viram moda no Sudão

Pílulas vendidas clandestinamente colocam em risco a saúde e, em alguns casos, levam à morte sudanesas em busca de um ideal de beleza

Pílulas para engordar viram moda no Sudão
Pílulas são compostas de substâncias que vão desde estimulantes a hormônios (Foto: Flickr/Tanya)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A busca pelo corpo perfeito não é novidade, seus riscos são muitos e podem valer a vida. Essa procura incessante por um ideal de beleza é comum no Sudão. Depois do clareamento de pele, a nova febre é a pílula que engorda. Cada uma é vendida por 20 libras sudanesas (R$ 9,5). A informação é da BBC.

Os remédios, que não são regulados, são vendidos de forma ilegal. Eles vêm sem nenhuma informação sobre os riscos. Como muitas mulheres não admitem seu uso, é difícil dizer o tamanho do problema.

Os remédios contêm desde estimulantes de apetite comuns a remédios contra alergia que contêm cortisona, um hormônio esteroide. Os efeitos colaterais da cortisona incluem diminuição do metabolismo, aumento do apetite, retenção de líquidos e criação de depósitos extras de gordura no abdômen e no rosto.

A presidente da Associação dos Farmacêuticos do Sudão, Salah Ibrahim, explica que tomar hormônios não regulados e sem supervisão pode causar danos ao coração, ao fígado, aos rins e à tireoide. A cortisona é um hormônio que existe naturalmente no corpo, ajudando a regular funções vitais. Quando uma versão concentrada e artificial é inserida no organismo, o cérebro ordena o corpo a parar a produção. Logo, se um usuário desses remédios para abruptamente de tomar a substância, os órgãos mais importantes podem ter disfunções.

Os médicos dizem que mulheres jovens estão morrendo por falência nos rins e problemas cardíacos por causas de paradas súbitas na ingestão de esteroides. As vítimas mais comuns são noivas e recém-casadas, já que elas tradicionalmente passam por um intenso mês de embelezamento antes do dia do casamento. Após o evento, elas param abruptamente o uso das pílulas e dos cremes branqueadores.

Salah Ibrahim tem aparecido em inúmeros programas de TV para alertar sobre os perigos destes remédios. Nas universidades, os estudantes do curso de Farmácia têm sido incentivados a agir dentro da lei. No entanto, em um país, onde profissionais de saúde recebem muito pouco, a tentação de vender esses remédios para revendedores ilegais é grande.

Apesar do esforço da polícia em prender vendedores ilegais e bloquear as rotas de tráfico, os lucros dos farmacêuticos clandestinos continua a crescer.

Fontes:
BBC-As perigosas pílulas para engordar que viraram febre entre mulheres do Sudão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *