Início » Economia » Internacional » Prefeito de Londres proíbe anúncios com imagem de corpos não saudáveis
PROPAGANDA

Prefeito de Londres proíbe anúncios com imagem de corpos não saudáveis

A medida começa a valer em julho e é para anúncios nos transportes públicos da cidade

Prefeito de Londres proíbe anúncios com imagem de corpos não saudáveis
Anúncios no metrô de Londres (Foto: Wikimedia)

Na última segunda-feira, 13, o novo prefeito de Londres, Sadiq Khan, anunciou a proibição de propagandas que façam os consumidores sentirem vergonha do próprio corpo no transporte público da cidade. A justificativa da medida, que começa a valer em julho, é que estes anúncios promovem imagens de corpos não saudáveis.

Leia mais: Até que ponto o padrão de beleza influencia os jovens?

Cerca de 12 mil anúncios são exibidos nos transportes de Londres anualmente. Esta proibição é para qualquer forma de transporte público.

“Ninguém deve se sentir pressionado, enquanto viaja de metrô ou de ônibus, com expectativas irreais em relação a seus corpos”, disse o prefeito.

A proibição é o mais novo esforço de autoridades europeias e de outros lugares de mostrar preocupação em relação a campanhas publicitárias que apresentam corpos não saudáveis, o que pode afetar a autoestima e a saúde dos consumidores. França, Israel, Itália e Espanha promulgaram políticas destinadas a impedir modelos extremamente magras de trabalhar no setor da moda.

O anúncio da proibição sofreu críticas e elogios. Alguns dizem que o membro do Partido Trabalhista agiu em benefício do público ao banir este tipo de comercial, outros, entretanto, dizem que Khan só fez isso por ser muçulmano, ou seja, ele teria usado a proibição para banir anúncios que vão contra as normas do Islã.

No ano passado, o Parlamento francês aprovou medidas para prevenir que agências de modelos contratem modelos extremamente magras. Segundo a lei, elas precisam de um atestado médico dizendo que estão no peso ideal para trabalhar, sob pena de prisão e de multa de 75 a 85 mil euros (cerca de R$ 290 a R$330 mil)  caso a regra não seja obedecida.

 

Fontes:
The New York Times-Sadiq Khan, New London Mayor, Bans Ads Promoting Unhealthy Body Image
Expresso-Autarca de Londres proíbe anúncios que façam as mulheres sentirem vergonha dos seus corpos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto disse:

    Se o problema é a magreza que se coloquem gordinhas de biquini, o que é ridiculo é não ver que esta é uma das primeiras medidas para se implementar a sharia no ocidente

  2. Elviro disse:

    O cara é muçulmano, para ele mulher tem que vestir burka, aí ninguém fica constrangido, né?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *