Início » Economia » Internacional » Qual a diferença entre o tempo mental e cronológico?
ESTUDO

Qual a diferença entre o tempo mental e cronológico?

Um novo estudo recorre aos princípios da física para explicar a diferença entre o tempo mental e o cronológico 

Qual a diferença entre o tempo mental e cronológico?
O cérebro processa a informação visual com mais lentidão, por isso, as pessoas idosas têm a sensação que o tempo passa mais rápido (Foto: Pixabay)

A passagem cronológica das horas, dias e anos nos relógios e calendários é um fenômeno imutável. Mas a nossa percepção do tempo muda constantemente por influência das atividades que exercemos, da idade e das condições físicas.

Essa percepção subjetiva do tempo é examinada em um artigo de Adrian Bejan, professor de engenharia mecânica da Universidade Duke, que será publicado em breve na revista científica European Review.

Segundo Bejan, os princípios da física explicam e determinam o fluxo contínuo do tempo. No ano passado, ele recebeu a prestigiosa medalha Benjamin Franklin do Instituto Franklin por “suas contribuições interdisciplinares pioneiras e pela formulação da teoria constructal, que explica o funcionamento de qualquer sistema dinâmico e influencia campos tão distintos como a engenharia, e os sistemas científicos e sociais”.

Em seu artigo, Bejan examina a evolução da mecânica da mente humana e sua influência na mudança de percepção mental à medida que envelhecemos. O tempo, de acordo com Bejan, reage às mudanças nos estímulos mentais. O tempo de processamento das imagens no cérebro e a rapidez das mudanças das imagens alteram a percepção do tempo. E, em certo sentido, cada um de nós tem seu “tempo mental”, dissociado da passagem de horas, dias e anos em relógios e calendários.

“O horário do relógio é mensurável. O período do dia e da noite dura 24 horas em todos os relógios. No entanto, o sistema de registro cerebral da passagem do tempo é flexível e individual”, observou Bejan.

Na juventude, quando recebemos sempre novos estímulos, temos a sensação que o tempo passa mais devagar. À medida que envelhecemos, o ritmo das mudanças mentais diminui em razão de diversos fatores, como perda de acuidade visual e de concentração mental, o que causa a impressão que o tempo flui mais rápido.

Estudos sobre o movimento dos olhos de pessoas idosas mostram intervalos mais longos entre o começo de um estímulo e o início de uma reação a esse estímulo. O cérebro processa a informação visual com mais lentidão, por isso, as pessoas idosas têm a sensação que o tempo passa mais rápido.

Ou seja, não somos prisioneiros do tempo cronológico, em uma ordem linear de tempo, e sim temos nossa própria dinâmica.

 

 

Fontes:
Quartz-Physics explains why time passes faster as you age

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *