Início » Economia » Internacional » Três países africanos são escolhidos para testar vacina contra malária
SAÚDE

Três países africanos são escolhidos para testar vacina contra malária

Programa piloto vai vacinar crianças de cinco a 18 meses de idade em Gana, Quênia e Malawi

Três países africanos são escolhidos para testar vacina contra malária
O programa piloto visa vacinar crianças de cinco a 18 meses de idade no ano que vem (Foto: Pixabay)

Gana, Quênia e Malawi foram os três países africanos escolhidos para testar a primeira vacina contra malária do mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o programa piloto visa vacinar crianças de cinco a 18 meses de idade no ano que vem. As crianças pequenas são as que mais correm risco de morte.

O projeto vai envolver mais de 750 mil crianças. Durante testes clínicos nesta faixa etária, as quatro doses necessárias da vacina puderam prevenir cerca de quatro em dez casos de malária. O número é bem baixo do registrado por vacinas para outras doenças. Apesar de a vacina ter funcionado em testes clínicos controlados, ainda não está claro se ela vai funcionar nas condições reais, onde o acesso à saúde é limitado. Por isso, o programa é piloto.

A grande questão é se esses países pobres vão conseguir distribuir as quatro doses necessárias para cada criança. As três primeiras doses devem ser tomadas uma vez por mês e a quarta, 18 meses depois.

Segundo o diretor regional da OMS na África, Matshidiso Moeti, apesar de a vacina ter uma eficácia parcial, acredita-se que ela possa salvar dezenas de milhares de vidas, caso seja somada a outras medidas preventivas já existentes, como inseticidas e mosquiteiros.

Anualmente, a malária infecta 200 milhões de pessoas e mata meio milhão. A maioria das vítimas fatais são crianças africanas. Em 2015, 90% dos casos mundiais ocorreram na África Subsaariana.

Os três países foram escolhidos porque, embora tenham programas fortes de prevenção e vacinação, eles continuam tendo muitos casos da doença. A transmissão da malária ocorre quando um mosquito pica alguém já infectado, suga o sangue contaminado e depois pica outra pessoa.

A OMS espera acabar com a malária até 2040. A vacina foi desenvolvida pela companhia farmacêutica GlaxoSmithKline. O custo de US$ 49 milhões da primeira fase do programa piloto foi patrocinado pela aliança global entre GAVI, UNITAID e Fundo Global contra AIDS, tuberculose e malária.

Fontes:
Independent-Three African countries chosen to test world's first malaria vaccine
BBC-Malaria: Kenya, Ghana and Malawi get first vaccine

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. laercio disse:

    Salvar centenas ou milhares de crianças é algo muito importante!

    Um país com boas leis, disciplina na escola e sociedade criam meios para sanar os problemas da humanidade!.

    Alemanha, Japão, Estados Unidos, entre outros, já mostraram que nada prospera na bagunça.

    E hoje, com um projeto piloto esse instituto consegue dar efetivo socorro às crianças para evitar e ou tratar a infecção.

    O Brasil tem plenas condições de trabalhar em pesquisas de toda ordem, podemos alcançar em pouco tempo o status dá Rússia quanto as diversas pesquisas e resultados… Mas para isto é necessário romper com os tratados internacionais que nos impedem de colocar a ordem no país!..

    A exemplo das avaliações progressivas que aprovam crianças sem saber das matérias…Simplesmente se preocuparam com a quantidade de frequentadores mas não com a disciplina e qualidade; sem falar nas agressões sofridas pelos professores, etc…

    Todos sabem que isto ocorre, não é OEA (organização dos estados americanos)?! Ou será que só a polícia é o problema do país?…

    Criança e adolescente sem aprendizado, sem disciplina é país sem futuro!

    Será que isto interessa a alguém? O que você acha?

    Foram os tratados que ocasionaram as mudanças!

    E quanto a criação de mais vagas nos presídios? Soltando quem está preso! Quem inventou isso?

    Como assim?
    O que é a audiência de custódia?

    A história é muito longa, os interesses são diversos…

    Cuidado com as fontes…

    Esperemos que os diversos bons comentários das redes possam um dia atingir as massas e promover uma reflexão coletiva sobre os assuntos.

  2. Lucinda Telles disse:

    A África precisa é de vacina de bife, arroz e feijão, contra a fome. Para a malária já tem cloroquina e quiproquina.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *