Início » Economia » Educação e Saúde sofrem novo corte orçamentário
Ajuste fiscal

Educação e Saúde sofrem novo corte orçamentário

Saúde perderá mais R$1,7 bilhão, e a Educação, mais R$1,2 bilhão este ano

Educação e Saúde sofrem novo corte orçamentário
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O governo anunciou nesta quinta-feira, 30, um novo corte de R$ 8,47 bilhões no orçamento deste ano. O corte adicional se soma à redução de R$ 70,88 bilhões já anunciada em maio. Com isso, o contingenciamento total chega a R$ 79,35 bilhões, o maior já realizado pelo governo federal na história deste país.

O novo corte atingiu as áreas da Educação e Saúde, consideradas prioritárias pelo governo, além de outros áreas sociais, de acordo com o decreto publicado no Diário Oficial da União nesta quinta.

A Saúde, que tinha um orçamento previsto em R$103,3 bilhões, perdeu R$11,8 em maio, uma redução de 11%. Com o corte adicional, a saúde perderá mais R$1,7 bilhão, totalizando uma redução de R$ 13,5 bilhões no orçamento previsto, ou 13%.

Já a Educação, que tinha um orçamento previsto em R$ 48,8 bilhões, perdeu 9,4 bilhões em maio, uma redução de 19%. Agora, o corte adicional vai retirar mais R$1,2 bilhão do setor, totalizando um corte de R$10,6 bilhões e baixando o orçamento da pasta para R$38,2 bilhões, uma redução de 22%.

Os cortes no orçamento correspondem a despesas discricionárias, ou seja, são despesas que tinhas sido previstas no orçamento do ano, mas que não são obrigatórias. A maior redução ocorreu no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que perdeu, em maio, R$25,7 bilhões.

Tabela do jornal Valor mostra os cortes feitos em maio (Fonte: Valor)

Tabela do jornal Valor mostra os cortes feitos em maio (Fonte: Valor)

Fontes:
Valor - Novo corte orçamentário atinge Saúde e Educação
Valor - Governo anuncia corte no orçamento de mais de R$70 bilhões

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    A dona Dillma anunciou um aumento de 5 bilhões para o FIES, depois do corte de mais de 9 bilhões na educação. Começo a desconfiar da sanidade mental daquela Excelência.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *