Início » Economia » Emergentes passam de devedores a credores
Troca de papéis

Emergentes passam de devedores a credores

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na sua obra "Mercados em Colisão", premiada em outubro como o livro do ano pelo jornal inglês Financial Times, Mohamed El-Erian explica a mudança de papel dos países emergentes de devedores para credores.

Os emergentes, que acumularam dívidas gigantescas com países desenvolvidos, cederam o posto de principal devedor do mundo aos Estados Unidos — que chegaram a absorver 90% da poupança global. Os americanos gastavam mais do que podiam e, baseados em sua boa reputação, eram financiados pela poupança de chineses, árabes, russos e outros emergentes.

A consolidação desse fenômeno mudou o panorama das finanças internacionais. Os emergentes criaram fundos e compraram ativos, socorrendo bancos em apuros nos países ricos. Foi o caso do Citigroup, que recebeu 7,5 bilhões de dólares de Abu Dhabi, e do Morgan Stanley, que vendeu 10% de seu patrimônio ao governo chinês.

Fontes:
Portal Exame - Todo poder aos emergentes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Elisio disse:

    Sinais da nova era econômica e política

    Sinais da nova era econômica e política, será? Será que essa divisão de peso político e econômica será feita de forma pacífica com os países em desenvolvimento? Será que essa guerra(divisão de influências econômicas e políticas) já está ganha?

  2. heloisa disse:

    Será bom sermos credores do Paraguai, da Bolívia, do Equador, da Argentina e de Cuba?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *