Início » Economia » Empresas chinesas são acusadas de poluir a costa da Gâmbia
MEIO AMBIENTE

Empresas chinesas são acusadas de poluir a costa da Gâmbia

Ativistas têm criticado a ação de várias empresas chinesas na Gâmbia e as acusam de transformar as praias do país 'em cemitérios'

Empresas chinesas são acusadas de poluir a costa da Gâmbia
Uma grande quantidade de peixes mortos é encontrada na costa do país (Foto: Twitter)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Camponeses da Gâmbia acusam uma companhia chinesa produtora de farinha de peixe de poluir uma reserva natural de fauna local na costa sudoeste do país. Segundo a mídia local e ambientalistas, companhia Golden Leaf tem despejado lixo e peixes podres nas águas da comunidade de Bolong Fenyo.

Como efeitos da ação da companhia chinesa, a água da reserva ambiental ficou avermelhada e uma grande quantidade de peixes mortos é encontrada tanto nas águas quanto na areia do local.

Ativistas têm criticado bastante a ação de várias empresas chinesas na Gâmbia e as acusam de transformar as praias do país “em cemitérios”. Uma petição que acusa a Golden Leaf de pesca predatória e pede intervenção do presidente da Gâmbia, Adama Barrow, já recolheu mais de mil assinaturas.

A China tem a maior frota do mundo de navios de pesca em alto mar e ambientalistas frequentemente criticam o país de praticar pesca predatória no oeste africano. Segundo a ONG Greenpeace, a região sofre um prejuízo de mais de US$ 2,3 bilhões por conta da pesca ilegal.

As críticas, no entanto, não devem abalar as relações entre China e Gâmbia, que retomaram laços diplomáticos em março deste ano. Por quase duas décadas, o país africano reconheceu a independência de Taiwan do restante da China e manteve relações com a ilha até 2013. Desde a queda do presidente Yahya Jammeh, no ano passado, o país vem tentando atrair o interesse de investidores chineses para preencher lacunas de infraestrutura local.

A embaixada chinesa em Gâmbia não comentou o caso, no entanto ativistas locais afirmam que a Green Leaf concordou em remover a tubulação que despeja lixo diretamente na costa do país.

Fontes:
Quartz-Gambians are accusing a Chinese company of destroying their coastline

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Markut disse:

    Esse assustador instinto predador do homem ,sobre a face da terra, o leva, a menosprezar a sua própria sobrevivência, neste diminuto ponto do universo, que é a nossa única morada,ao menos, por enquanto.

  2. laercio disse:

    Várias injustiças estão sendo práticas pelo mundo mais as que merecem atenção são aquelas que atingem os interesses dos fluentes sob as mais diversas formas.
    A ONU e outras instituições estão direcionadas aos interesses daqueles que detém o monopólio…
    O Brasil está impedido de exercer sua soberania devido a vigilância exercida por esta e por outras entidades de direitos humanos; usam esse nome para passarem despercebidas pois, se fossem notadas pelo que fazem certamente já teriam sido expulsas do país…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *