Início » Vida » Comportamento » Estônia: o país onde três em cada quatro médicos são mulheres
IGUALDADE DE GÊNERO

Estônia: o país onde três em cada quatro médicos são mulheres

Relatório da OCDE apresenta uma comparação de dados sobre saúde entre os países do grupo

Estônia: o país onde três em cada quatro médicos são mulheres
Segundo o estudo, as taxas de mulheres entre os médicos aumentaram entre 2000 e 2013 (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Segundo um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Estônia é o país com a maior taxa de médicas mulheres entre as economias desenvolvidas. No país, três em cada quatro médicos são mulheres, enquanto que no Reino Unido 46% dos médicos são mulheres e nos Estados Unidos, 34%. No geral, a Europa lidera a proporção de mulheres na saúde.

Segundo o estudo, as taxas de mulheres entre os médicos aumentaram entre 2000 e 2013. Embora estas taxas sejam boas notícias para a igualdade de gênero, não é só isso que conta. Dados americanos mostram que médicas mulheres ganham menos que os homens que ocupam os mesmos cargos.

Além disso, como as mulheres tendem a pedir mais por turnos de meio período, logo é preciso repensar a rotina de trabalho dos médicos. A maioria dos países da OCDE tem também outro problema pela frente: a idade média dos médicos, que em quase todos os países pesquisados está aumentando.

Em média, 33% dos médicos nos países estudados tinham mais de 55 anos em 2013. Em 2000, a porcentagem era de 20%. Em alguns países como Itália e Israel, quase metade dos médicos tem mais de 55 anos. Em 2000, a taxa era de 20% e 30%, respectivamente.

Fontes:
Quartz-Eastern Europe leads the developed world in female doctors

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *