Início » Economia » Exploração de minerais não-poluentes resgatam mineradoras
SETOR DE MINERAÇÃO

Exploração de minerais não-poluentes resgatam mineradoras

O setor de mineração recuperou-se de uma grave crise econômica e a demanda de cobre e cobalto para a fabricação de veículos elétricos e baterias atrai novos investimentos

Exploração de minerais não-poluentes resgatam mineradoras
Após o investimento desastroso no setor de commodities da China, mineradoras vêm atraindo o interesse de investidores (Foto: Wikimedia)

O potencial de metais e minerais não poluentes, como cobre, cobalto, níquel, lítio e grafite, está mais uma vez atraindo o interesse dos investidores no setor de mineração, depois do investimento desastroso de US$1 trilhão durante o boom do consumo de commodities da China no início da década de 2000. Os mais otimistas dizem que a energia não poluente poderá ser uma fonte ainda maior de demanda do que o consumo chinês de matérias-primas nos últimos 15 anos.

O otimismo em relação ao setor de mineração é um fato surpreendente. Segundo a empresa de pesquisa de mercado Sanford C. Bernstein, nos últimos quatro anos a crise no setor foi tão grave como no período da Grande Depressão. Em 2014 e 2015, as quatro maiores empresas de mineração com ações negociadas na Bolsa de Valores de Londres – BHP Billiton, Rio Tinto, Glencore e Anglo American – perderam quase US$20 bilhões do lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA), devido à forte queda do preço das commodities. A Glencore, uma das mais atingidas pela crise, vendeu ativos e emitiu ações para equilibrar seu balanço patrimonial.

Os preços das commodities voltaram a subir no ano passado e, lideradas pela Glencore, os preços das ações das empresas de mineração também aumentaram. Os resultados recentes mostram que as quatro maiores empresas não só tiveram lucros, como também reduziram a dívida líquida em quase US$25 bilhões em 2016.

Fontes:
The Economist-Mining companies have dug themselves out of a hole

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *