Início » Economia » Falta mão de obra qualificada nos restaurantes americanos
Cozinha

Falta mão de obra qualificada nos restaurantes americanos

O problema ocorre em Chicago, Nova York, Seattle e São Francisco

Falta mão de obra qualificada nos restaurantes americanos
Um dos obstáculos mais claros para a contratação de um bom cozinheiro nos dias de hoje é o o custo de vida nas grandes cidades americanas (Foto: Pixabay)

Bons cozinheiros estão ficando mais difíceis de encontrar. Não aqueles, retratados em reality shows, que têm tempo para orquestrar a corrida de jantar, mas os homens e mulheres recém-saídos da escola de culinária.

A escassez de mão de obra está afetando chefs em Chicago, onde os restaurantes dizem que estão recebendo menos currículos do que nos anos anteriores.

Este é um problema também em Nova York, onde encontrar cozinheiros habilidosos é algo cada vez mais raro. “Se eu tivesse uma vaga aberta na cozinha, eu receberia 12 currículos, chamaria três ou quatro para testar e tomaria uma decisão [há alguns anos]”, disse Alfred Portale, o chef e dono do restaurante Gotham Bar and Grill. “Agora é o contrário, há um cozinheiro e 12 restaurantes”.

A situação também ocorre em Seattle e São Francisco.  Ser cozinheiro não tem mais aquele brilho e glamour que costumava ter. Muitas horas de trabalho, baixos salários e uma série de outros fatores culturais e econômicos fizeram com que o trabalho se tornasse muito menos desejável do que era antes, deixando muitas cozinhas vazias.

Um dos obstáculos mais claros para a contratação de um bom cozinheiro nos dias de hoje é o custo de vida nas grandes cidades americanas. Em Nova York, por exemplo, onde um cozinheiro pode esperar algo entre US$ 10 e US$ 12 por hora, enquanto o aluguel médio está acima de US$ 1.200. Como resultado, as pessoas acabam vivendo longe dos restaurantes onde trabalham.

Por enquanto, os clientes urbanos vão continuar comendo fora, e vão voltar para casa sem perceber que por trás das portas vaivém, a equipe da cozinha poderia ser maior. Mas, se a tendência continuar, será apenas uma questão de tempo antes que o problema reflita no serviço, retardando e deteriorando a qualidade da refeição, e talvez, eventualmente, forçando os restaurantes a fechar suas portas.

Fontes:
The Washington Post-The crippling problem restaurant-goers haven’t noticed but chefs are freaking out about

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *