Início » Economia » FED ordena que maiores bancos dos EUA revisem regras para falência
ECONOMIA

FED ordena que maiores bancos dos EUA revisem regras para falência

Cinco maiores bancos do país precisarão esclarecer suas regras sobre pedido de liquidação judicial para proteger a sociedade

FED ordena que maiores bancos dos EUA revisem regras para falência
Decisão gerou a polêmica de que algumas firmas são consideradas ‘grandes demais para falir’ (Foto: Flickr/401K 2012)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Órgãos reguladores do setor financeiro dos EUA ordenaram que os cinco maiores bancos do país façam mudanças consideráveis nas regras internas que estabelecem como eles decretariam liquidação extrajudicial sem prejudicar os credores e a sociedade.

Segundo o Federal Reserve (FED, o Banco Central dos EUA) e o Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), as regras para entrar com o pedido estabelecidas pelos bancos J.P. Morgan Chase & Co., Wells Fargo & Co., Bank of America Corp., Bank of New York Mellon Corp. e State Street Corp não estão de acordo com os padrões estabelecidos em 2010 pela lei Dodd-Frank, que determina que as firmas tenham regras plausíveis para entrar com o processo sem ameaçar os credores.

Os bancos terão até 1º de outubro para apresentar regras consideradas aceitáveis ao FED e ao FDIC, caso contrário os órgãos reguladores vão impor aos bancos maiores metas de Capital Regulatório (montante alocado pelos bancos para cobrir riscos), restrição de crescimento ou atividade e outras sanções.

A decisão acendeu a polêmica de que algumas firmas são consideradas “grandes demais para falir”, ou seja, sua falência seria uma ameaça tão grande à sociedade que os contribuintes teriam de resgatá-los.

John Dearie, chefe executivo da Financial Services Form, grupo que representa todos os bancos, exceto o Well Fargo, classificou a decisão do FED e do FDIC como uma “falha técnica” que o setor está disposto a enfrentar. “Nenhuma empresa financeira deve ser considerada grande demais para falir”, disse Dearie.

A lei Dodd-Frank, criada após a crise de 2008, foi feita para impedir que uma nova calamidade do tipo ocorra. A decisão dos reguladores foi tomada diante do que consideraram análises insuficientes que provem que o processo de liquidação ocorreria de forma ordenada.

Fontes:
The Wall Street Journal-Regulators Reject ‘Living Wills’ of Five Big U.S. Banks

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *