Início » Economia » FMI alerta que calote argentino terá custo para o mundo
Crise da dívida argentina

FMI alerta que calote argentino terá custo para o mundo

Além disso, segundo o relatório de perspectivas globais do FMI, o crescimento do PIB brasileiro em 2014 será de 1,3%, diferente dos 1,8% previstos pelo governo esta semana

FMI alerta que calote argentino terá custo para o mundo
O calote argentino se configurará em 30 de julho, caso o país não pague parte dos credores que renegociaram a dívida (Foto: Reprodução/Reuters)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O possível calote argentino, no fim deste mês, aos detentores do bônus da dívida do país pode trazer custos para o mundo. Segundo o economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Olivier Blanchard, a falta de pagamento terá um custo muito alto para o país, já que precisará ficar fora do mercado por um tempo, e influenciará o mundo. O FMI indica que sejam criados mecanismos para solucionar tais conflitos.

“Umas das implicações deste episódio da Argentina é que há muito mais incerteza em torno de como conseguiremos reestruturar a dívida de outros países no futuro. Isso realmente demonstra que temos que trabalhar no aperfeiçoamento de mecanismos de resolução para países em dificuldades. Essa situação pode ser um gatilho”, explicou o economista.

A Argentina negocia em Nova York para que os holdouts, depositados em junho na cidade, sejam liberados pela justiça norte-americana. O juiz Thomas Griesa congelou o dinheiro para o pagamento imediato dos fundos abutres, que não aceitaram renegociar a dívida. O calote se configurará no próximo dia 30, caso não paguem os bônus da dívida renegociada em 2005 e 2010.

Além disso, se houver o calote, por cláusula do contrato de negociações, caso o  governo ofereça melhores condições a alguns detentores de títulos terá de fazê-lo para todos, o que faria saltar sua dívida, podendo chegar ao equivalente à soma do que já pagou em 10 anos.

FMI diz que PIB brasileiro terá crescimento de 1,3 %

Segundo o relatório de perspectivas globais do FMI, o crescimento do PIB brasileiro em 2014 será de 1,3%, diferente do 1,8% previsto pelo governo esta semana.  Em 2013, a taxa de crescimento foi de 2,5%. O último boletim Focus, porém, espera um crescimento de apenas 0,97%, sendo a primeira vez que o índice ficou abaixo de 1%. A expectativa de crescimento da economia mundial é de 3,4% neste relatório trimestral do FMI, sendo a previsão anterior de 3,7%.

Fontes:
Exame - FMI corta previsão de PIB brasileiro em 2014 para 1,3%
O Globo - Calote argentino tem custo para o mundo, diz FMI

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *