Início » Economia » FMI defende alta de juros nos EUA
ECONOMIA

FMI defende alta de juros nos EUA

Diretora do FMI, Christine Lagarde, diz que a prática é necessária para controlar economias em expansão e com inflação crescente, como os EUA. Porém admitiu que países emergentes podem ser prejudicados

FMI defende alta de juros nos EUA
Fed aumentou os juros pela terceira vez no ano (Foto: PxHere)

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, defendeu nesta quinta-feira, 11, o aumento de juros promovido pelo Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos. No entanto, Lagarde admitiu que a medida pode complicar as economias emergentes.

“Muitos mercados emergentes e países em desenvolvimento aproveitaram os custos de financiamento extremamente baixo. […] Eles assinaram empréstimos frequentemente em dólares”, apontou, explicando ainda que a medida aumenta a diferença com esses países, que já estão preocupados devido às tensões comerciais entre EUA e China.

O aumento de 0,25 pontos, promovido pelo órgão pela terceira vez este ano, fez com que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticasse a ação do Fed. “Acho que o Fed está cometendo um erro. […] Acho que o Fed ficou louco”, afirmou o presidente americano. A diretora do FMI, porém, afirma que essa é uma medida “inevitável” para economias em constante expansão, inflação crescente e baixo desemprego, como é ocaso dos EUA.

As críticas de Trump foram incentivadas por uma péssima sessão na Wall Street, quando as ações americanas despencaram mais de 3%. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, tirou a responsabilidade do Fed sobre a variação econômica na Wall Street, destacando que os mercados estão “subindo e descendo”.

Já Larry Kudlow, o principal assessor econômico de Trump, fez questão de lembrar que o Banco Central é independente, destacando que “o presidente não está ditando a política econômica”.

Christine Lagarde fez questão de relembrar a crise econômica mundial de 2008, atribuindo o caso ao protecionismo. Por isso, a diretora do FMI admitiu que tem uma “inquietação” em relação à situação econômica internacional. “Espero que não sejamos todos vítimas de uma espécie de amnésia coletiva sobre o que aconteceu há dez anos e sobre o que aconteceu muito antes, quando as tensões geopolíticas somadas ao protecionismo provocaram acontecimentos terríveis”, afirmou, Lagarde.

Fontes:
AFP-FMI defende alta dos juros nos EUA, que complica economias emergentes
The Guardian-IMF boss defends Federal Reserve after Trump calls it 'crazy'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *