Início » Economia » GM vai fechar fábricas e cortar 14 mil funcionários na América do Norte
ECONOMIA

GM vai fechar fábricas e cortar 14 mil funcionários na América do Norte

Medida mira fábricas da General Motors no Canadá e nos EUA e faz parte de um plano de reestruturação da montadora

GM vai fechar fábricas e cortar 14 mil funcionários na América do Norte
Decisão desagradou o presidente americano Donald Trump (Foto: Facebook/General Motors)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A General Motors (GM) anunciou que pretende suspender a produção em pelo menos cinco fábricas da montadora na América do Norte e cortar 14 mil postos de trabalho. O corte representa mais de 10% do total de 124 mil trabalhadores da GM.

Segundo a chefe executiva da empresa, Mary T. Barra, as medidas fazem parte de um plano de reestruturação. O plano é um esforço da montadora para lidar com as quedas de vendas registradas em decorrência da mudança nas preferências dos consumidores, que estão mais voltados para modelos utilitários esportivos (SUVs) e picapes e menos interessados em sedãs, como o Fusion e o Fiesta. As fábricas atingidas ficam em Lordstown (Ohio), Hamtramck-Detroit (Michigan), nos EUA, e Oshawa, em Ontário, no Canadá.

A reestruturação também visa reduzir os impactos gerados pela queda nos lucros decorrente da guerra comercial promovida pelo presidente americano Donald Trump. Segundo noticiou o New York Times, em junho, a GM reduziu sua previsão de lucro para este ano, uma vez que as sobretaxas aplicadas por Trump elevaram o custo de produção da montadora por conta da alta no preço do aço.

Em uma conferência com analistas para detalhar a decisão da montadora, Barra comparou a reestruturação a um prudente ajuste de velas num momento de ventos contrários. “Estamos tomando tais medidas agora, enquanto a empresa e economia estão fortes, para ficarmos à frente em um mercado de rápidas mudanças”, disse a chefe executiva.

A decisão da GM de se antecipar a um possível revés mais profundo no setor automotivo foi bem recebida por investidores e elevaram as ações da montadora em 4,8% após o anúncio, o maior patamar registrado nos últimos três meses.

A notícia, no entanto, não agradou Trump, que tinha entre suas promessas de campanha retomar a produção do setor automotivo. Trump disse a repórteres que falou com Barra e destacou “que não está feliz com o que ela fez”.

O presidente americano citou o resgate financeiro do governo à General Motors, após a montadora pedir recuperação judicial quase uma década atrás. “Você sabe, os Estados Unidos salvaram a General Motors e ela retirar a companhia de Ohio dessa forma não é bom”, disse ele a repórteres. Trump também disse, em entrevista ao Wall Street Journal, que Barra está “brincando com a pessoa errada”.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, também se manifestou, afirmando estar desapontado com a decisão. “Ontem, eu falei com Mary Barra para expressar meu profundo desapontamento com o fechamento [da fábrica em Ontário]”, escreveu Trudeau, em sua conta no Twitter.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. LUIZ ALBERTO FRANCO disse:

    Mais um sucesso de Trump…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *