Início » Economia » Governo planeja imposto de 0,4% para saques e depósitos
'NOVA CPMF'

Governo planeja imposto de 0,4% para saques e depósitos

Possível cobrança vem sendo comparada à antiga CPMF

Governo planeja imposto de 0,4% para saques e depósitos
Ideia do governo é utilizar a contribuição sobre pagamentos para substituir gradativamente a tributação sobre os salários (Fonte: Reprodução/Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O governo federal planeja cobrar imposto sobre saques e depósitos em dinheiro e também sobre pagamentos nos cartões de crédito e débito. A possível cobrança vem sendo comparada à antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

Marcelo de Sousa Silva, secretário-adjunto da Receita Federal, apresentou nesta terça-feira, 10, durante o Fórum Nacional Tributário, as alíquotas que estão sendo estudadas: de 0,4% para saques e depósitos em dinheiro e de 0,2% para cada operação de débito e de crédito.

A ideia do governo é utilizar a contribuição sobre pagamentos para substituir gradativamente a tributação sobre os salários.

O secretário ressaltou que “é uma alíquota de 0,20% no débito e crédito para poder desonerar parcialmente a folha em algo equivalente a um FGTS [7%]”.

De acordo com a equipe econômica do governo, a tributação atual sobre a folha de pagamentos, de 43,5% (patrão e empregado juntos), é “muito acima” de outros países da região, o que representa um “desestímulo à contratação de mão de obra”.

Marcelo de Sousa Silva afirmou que a reforma vai propor, por outro lado, benefícios como ampliação da faixa de isenção do IRPF e o reembolso de impostos às pessoas com baixa renda.

A reforma proposta pelo governo também prevê a unificação gradual de impostos. O novo tributo deve se chamar Contribuição Social sobre Bens e Serviços (CBS) e unificará PIS, COFINS, CIDE e IPI.

Fontes:
G1 - Governo avalia imposto sobre pagamentos com alíquota de 0,40% para saques e depósitos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Magdiel Gomes de Moraes disse:

    Ou seja: uma facada maior que nos deram governos anteriores

  2. Rogerio Faria disse:

    Esse é o neo liberalismo do Guedes… Não adianta, vc não vai ver nada igual nos livros de economia.

  3. jayme endebo disse:

    Não vai avançar

  4. José Antonio Alves disse:

    Pra quem não sabe fazer contas de percentagem, o valor acima representa 40 centavos para cada cem reais movimentados. Se for realmente para desonerar a carga das folhas de pagamentos, isto se torna uma pechincha para os trabalhadores!

  5. Elmo disse:

    Liberalismo B.O., como todo o resto.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *