Início » Economia » Grau de investimento coloca o Brasil no mapa, diz WSJ
Mídia

Grau de investimento coloca o Brasil no mapa, diz WSJ

A elevação do Brasil a grau de investimento na classificação de risco Standard and Poor's, na última quarta, deve aumentar os investimentos internacionais no país. É o que afirmam jornais internacionais como o Wall Street Journal nesta quinta-feira.

A estabilidade econômica e política do Brasil foram ressaltadas pelo periódico para explicar a elevação. "Antes economicamente instável, o Brasil conseguiu estabilizar sua economia e tem visto um crescimento mais previsível da economia, com redução da interferência política", acrescentando que o grau de investimento é sinal de que o país "entrou no mapa mundial".

De acordo com o jornal britânico Financial Times, a avaliação pode, teoricamente, acelerar o crescimento econômico do Brasil, pois uma vez considerado investimento seguro, haveria uma ampliação do acesso ao crédito. O benefício era aguardado há anos pelo mercado financeiro, que recebeu a notícia com surpresa nesta quarta.

Fontes:
G1/Globo.com - Estabilidade brasileira permitiu grau de investimento, apontam jornais

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Márcia Benevides Leal disse:

    Quem aprende a escrever pode escrever o que quiser, contanto que se garanta, pois um dia a casa cai. A tal grande mídia nacional está teatralizada e com um bom redator para fazer diálogos de “rumances” trabalhando para todas, pois não existe um veiculo de comunicação: jornal, radio e TV que conte as verdade ou informe a população. Não tem conselho de ética pra esta classe não? Se não fossem os sites ambientais estaríamos fritos.
    Todos estão embarcando na catástrofe destes PACS da vida, a maioria em lugar impróprio, e com a obrigação de ter o EIA que dispensam para não perder a oportunidade de dispor logo do dinheiro, a população que ainda acredita que é protegida pelo poder público balança a cabeça quando exibem os projetos como que estejam aprovando, pois mesmo quem tem duvida não tem coragem de enfrentar os doutores que vem para explicar os projetos. Que em sua maioria protelam por algum tempo situações de enchentes, mas como são feitas contrariando os mais básicos ensinamentos de controle de inundação.
    Na região da baixada do Rio de Janeiro tal de projeto Iguaçu vai pegar um topo de morro e impermeabilizar e fazer unidades habitacionais, quando deveria fazer o replantio da vegetação. Irão sair desobstruindo tudo quanto for canal (vala) que levam tudo que estiver dentro para os Rios Iguaçu e Sarapui que chegam juntos a baía da Guanabara e próximos ao local aonde durante décadas a REDUC (Petrobras) descarta seus resíduos que estão no fundo da baía. No dia em que o índice pluviométrico for alto, vai ser um desastre ambiental (mais um), pois a pressão que a força da descarga destes dois rios ao entrar na baía irá revolver o que está ali esperando ameaçadoramente. Em outra reunião o secretário de ambiente diz que o terreno do assentamento é plano e que vai haver caixas que reterão as águas para não descer toda de uma vez na baía. Realmente se investe muito bem aqui. O difícil é saber como é projeto antes dele ficar pronto.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *