Início » Economia » IBGE: taxa de desemprego cai para 6% em julho
Brasil

IBGE: taxa de desemprego cai para 6% em julho

Área de serviços prestados à empresas, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira apresentou crescimento de 243 mil trabalhadores

IBGE: taxa de desemprego cai para 6% em julho
Julho apresentou um total de 22,5 milhões de pessoas ocupadas (Reprodução/Exame)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em julho, a taxa de desemprego no Brasil caiu para seu menor patamar neste mês desde 2002, apontou um levantamento divulgado nesta quinta-feira, 25, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em julho, a taxa ficou em 6% nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo instituto.

Leia também: O fim do mito da expansão econômica
Leia também: Desemprego entre os jovens bate recordes na Europa
Leia também: Desemprego no país deve cair no terceiro trimestre

O índice da população desocupada ficou estável em relação ao mês de junho (6,2%), com 1,4 milhão de pessoas desempregadas. Em comparação a julho de 2010, quando a taxa ficou em 6,9%, houve uma queda de 12,1% — ou seja, menos 200 mil pessoas.

O número de empregados também não apresentou variação significativa em relação ao mês anterior, com um total de 22,5 milhões de pessoas ocupadas. Já com relação a julho de 2010, ocorreu aumento de 456 mil postos ocupados (2,1%). Já o número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado teve uma alta de 1,2%, frente a junho deste ano. Com relação a julho de 2010, houve uma elevação de 726 mil postos de trabalho com carteira assinada (7,1%).

O rendimento médio real dos ocupados ficou em R$ 1.612,90, o valor mais alto para o mês de julho desde 2002. O resultado apresentou alta em relação a junho (2,2%) e frente a julho de 2010 (4%). Na análise regional, com relação a junho, a média também aumentou em Recife (4,1%), Salvador (6%), Rio de Janeiro (2,8%), São Paulo (1,7%) e Porto Alegre (1,9%), e em Belo Horizonte ficou estável.

A proporção entre o número de pessoas ocupadas e em idade ativa se manteve estável frente a junho e também em relação a julho de 2010. O nível da ocupação ficou estimado em 53,6% no total das seis regiões.

A atividade de serviços domésticos apresentou uma queda de 4,4% de junho para julho. Já o setor de construção teve um acréscimo de 90 mil trabalhadores (5,5%) na comparação anual. A área de serviços prestados à empresas, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira também apresentou crescimento de 243 mil pessoas (7,3%).

Fontes:
G1/Globo.com - Desemprego fica em 6% em julho, mostra IBGE

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *