Início » Economia » Índice Big Mac
A 'economia do hambúrguer'

Índice Big Mac

Cotações mundiais – para viagem

Índice Big Mac
O índice Big Mac foi inventado pela revista britânica Economist em 1986 (Fonte: Reprodução/Getty Images)

O índice Big Mac foi inventado pela Economist em 1986 como um guia descontraído para indicar se as cotações das moedas estavam em seus níveis “corretos”. Ele se baseia na teoria da paridade do poder de compra (PPC), a ideia de que no longo prazo as cotações deveriam convergir para a taxa que equalizaria os preços de uma cesta idêntica de bens e serviços (um sanduíche, nesse caso) em quaisquer dois países.

Por exemplo, o preço de um Big Mac nos EUA em julho de 2013 era US$ 4,56; na China o mesmo custava US$ 2,61 à taxa de câmbio de mercado. De modo que o índice Big Mac “bruto” dizia que o yuan estava subvalorizado em 42% à época.

O preço do lanche no Brasil é de US$ 5,28 (cerca de R$ 12). Isso significa que o preço no país está sobrevalorizado em 16%. O cálculo da revista britânica considerou o câmbio brasileiro em R$ 2,27.

O Brasil tem o quinto Big Mac mais caro do mundo. A Noruega ocupa a primeira posição do índice, seguida pela Venezuela, Suíça e Suécia.

A “economia do hambúrguer” nunca pretendeu ser uma medida precisa do desalinhamento e cotações, mas sim meramente uma ferramenta para tornar a teoria da taxa de câmbio mais digerível. No entanto, o índice Big Mac se tornou um padrão global, foi incluído em diversos livros didáticos de economia e se tornou objeto de pesquisa de pelo menos 20 artigos acadêmicos. Para aqueles que levam a fast food que consomem mais a sério, uma versão gourmet do índice também foi calculada.

Esse índice ajustado responde às críticas que afirmam que os preços médios de hambúrgueres seriam menores em países pobres que em países ricos porque os custos trabalhistas são menores. A PPC sinaliza a trajetória das cotações no longo prazo, à medida que um país como a China enriquece, mas diz pouco a respeito da taxa de equilíbrio de hoje em dia. A relação entre preços e PIB per capita podem ser um ótimo guia para o atual valor justo de uma cotação. O índice ajustado usa a “linha de melhor ajuste” entre os preços do Big Mac e o PIB per capita pra 48 países (além da zona do euro). A diferença entre o preço previsto pela linha vermelha para cada país, dada a sua renda per capita, e o seu preço verdadeiro gera uma medida extra-grande da sub e sobrevalorização das cotações.

Texto da revista Economist editado para o Opinião e Notícia.
Tradução: Eduardo Sá

Fontes:
The Economist - Interactive currency-comparison tool: The Big Mac index

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *