Início » Economia » Juiz suspende medidas que impediam Argentina de pagar dívida
FUNDOS ESPECULATIVOS

Juiz suspende medidas que impediam Argentina de pagar dívida

O pagamento da dívida é um passo crucial para que a Argentina volte a receber financiamento no mercado de capitais

Juiz suspende medidas que impediam Argentina de pagar dívida
O juiz Thomas Griesa tomou a decisão por entender que o governo Macri está disposto a resolver a questão (Foto: Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O juiz nova-iorquino Thomas Griesa ordenou a suspensão das medidas cautelares que impediam a Argentina de negociar a reestruturação da dívida que tem com credores internacionais. O pagamento da dívida é um passo crucial para que a Argentina volte a receber financiamento no mercado de capitais.

Griesa tomou a decisão por considerar que o acordo do governo do presidente Mauricio Macri com os fundos especulativos mudou de forma significativa a situação que levou ao bloqueio. O juiz diz entender que o governo Macri está disposto a resolver a questão.

“As circunstâncias mudaram tão significativamente que são suficientes para declarar que as medidas cautelares são injustas e prejudiciais ao interesse público”, disse o juiz em sua decisão.

O advogado Daniel Pollack, mediador da crise entre a Argentina e os fundos especulativos, anunciou esta semana que há um princípio de acordo para resolver  85% das demandas dos credores, o que inclui os pactos de reestruturação da dívida firmados entre 2005 e 2010.

Griesa impôs as medidas cautelares em junho de 2014. Na época, o governo de Cristina Kirchner se dispôs a pagar a dívida, mesmo com a objeção de credores menores à reestruturação do pagamento. O juiz considerou que o pagamento sem um acordo com todos os credores era ilegal e decidiu impor as medidas de suspensão ao pagamento até que um acordo real fosse alcançado.

Fontes:
El País-Juiz de Nova York suspende bloqueio que impedia a Argentina de pagar sua dívida

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *