Início » Economia » Licença-parental minimiza riscos e amplia ganhos
Licença remunerada

Licença-parental minimiza riscos e amplia ganhos

Segundo a ‘Economist’, pais e mães deveriam receber licença remunerada para cuidar de seus filhos

Licença-parental minimiza riscos e amplia ganhos
Pais e filhos se beneficiam com a licença-parental (Foto: Pixabay)

Muitos países estão orgulhosos com sua licença-maternidade, já que os benefícios sociais e econômicos são claros quando tornam possível para que uma mãe que trabalha consiga passar um tempo com seu recém-nascido. No entanto, segundo a Economist, os ganhos da licença-maternidade seriam multiplicados se os países a extendessem também para os pais.

Mães batalham para combinar o cuidado com a criança com o trabalho, mas geralmente o emprego é que é sacrificado. Afinal, essa combinação reduz seus ganhos durante a vida. Grande parte da Europa estabeleceu a licença-maternidade remunerada na década de 1970. Desde então, dezenas de outros países descobriram que dando uma quantidade razoável de tempo fora do trabalho para as novas mães, a participação feminina como força de trabalho aumenta.

No entanto, essa provisão pode, por vezes, prejudicar em vez de ajudar as mulheres, já que afastadas do trabalho, suas habilidades enferrujam e assim não conseguem ganhar experiência nem conseguir promoções. E, embora a discriminação de gênero no trabalho seja ilegal em quase toda parte, alguns empregadores ainda evitam contratar mulheres, porque eles acham que elas vão ficar muito tempo ausentes.

Por isso, a licença-paternidade remunerada pode ajudar. Quase metade dos países do mundo já oferece aos novos pais períodos curtos em casa; um número crescente de países deixa que as mães cedam parte de sua licença para os seus parceiros, enquanto elas voltam para o trabalho. Vários países europeus já começaram a reservar parte da licença para os pais para incentivá-los a fazer uso desta oportunidade: na Suécia casais obtêm um “bônus de igualdade” por dividir sua licença de forma mais uniforme.

Pais e filhos se beneficiam com a licença-parental. Quando uma mulher deixa seu bebê com o pai e vai para o trabalho, ele aprende a ser um pai melhor. Um estudo internacional revelou que essas crianças, de pais que tiveram licença compartilhada, se dão melhor em testes cognitivos na escola.

A licença-parental que é generosa, mas não em excesso, é essencial para que as mães não sejam forçadas a sair do trabalho por falta de apoio nem aliviadas por estarem fora do excesso de trabalho. Além disso, a licença garante que os pais participem do processo dos cuidados com os filhos, minimizando os risco e ampliando os ganhos para todos.

 

Fontes:
The Economist-More hands to rock the cradle

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *