Início » Economia » Mais problemas pela frente
Gráfico

Mais problemas pela frente

Gráfico da revista britânica 'The Economist' mostra principais dívidas públicas ao redor do mundo

Mais problemas pela frente
Adoção de um polêmico pacote de medidas de austeridade na Grécia pode afetar toda a Europa

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em meio a greves e violentos protestos públicos, o Parlamento da Grécia votou a favor do pacote de emergência de medidas de austeridade. O pacote, que ainda tem que passar por uma segunda votação para ser implementado, é necessário. Sem ele, a União Europeia e o FMI não liberarão mais parcelas do resgate econômico para o país. E sem esse empréstimo, a Grécia não poderá realizar os pagamentos de juros de sua astronômica dívida pública.

Mas como o pacote afetará tão severamente os gregos comuns, sem trazer consigo a tão necessária reforma estrutural, ele deve fracassar. Muitos outros países ricos têm grandes fardos relativos a dívidas, e enfrentam problemas semelhantes.

O gráfico abaixo mostra cálculos da OCDE sobre os valores necessários para que os países reduzam a dívida geral para 60% do PIB em 2026. Esses números estão próximos do que é considerado saudável, e também é o número estabelecido pelo amplamente ignorado Acordo de Maastricht, criado para controlar as dívidas públicas da União Europeia.

Fontes:
The Economist - "More pain to come"

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Elisa disse:

    Acho que nada sei de Economia. Mas sei que, quando devemos alguma coisa, significa que na outra ponta alguém, ou “alguéns”, se torna credor dessa coisa. Então, se de um lado a dívida é exorbitante, a ponto de a pessoa (ou o Estado) não dar conta de pagar, do outro lado, quem é o detentor do crédito? Ou seja, se os Estados Unidos estão na pior, a Europa está na pior, a Alemanha está preocupada também, a China também, da mesma forma que quase todos os países do mundo, segundo se alardéia na imprensa, para onde estará indo todo o dinheiro do mundo? Para Dubai, para os “paraísos fiscais”? Se meu raciocínio estiver minimamente correto, então o dinheiro do mundo está na mão de sonegadores, desviado? Sonegadores e desviadores de dinheiro são … … ladrões? Vou parar por aqui porque, senão, corro o risco de afirmar que “ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão”! Pagar prá que?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *