Início » Economia » Medidas de Trump no setor aéreo afetam passageiros
ESTADOS UNIDOS

Medidas de Trump no setor aéreo afetam passageiros

Trump elimina regulamento que obrigava linhas aéreas a divulgar as tarifas cobradas por bagagens despachadas no momento da compra da passagem

Medidas de Trump no setor aéreo afetam passageiros
A atitude do governo provocou protestos dos ativistas que defendem os direitos dos consumidores (Foto: Pixabay)

Donald Trump, eleito presidente com uma mensagem populista, adotou medidas prejudiciais aos passageiros de aviões nos Estados Unidos. Em 7 de dezembro, a Casa Branca anunciou que havia eliminado um regulamento proposto pelo ex-presidente Barack Obama referente à exigência que as companhias aéreas e as agências de viagem divulgassem as tarifas cobradas por bagagens despachadas, assim que os clientes começassem a comprar as passagens.

As companhias aéreas já são obrigadas a mostrar as tarifas cobradas por bagagem em seus sites. Mas a proposta do ex-presidente Obama exigia que as tarifas fossem divulgadas durante o processo de compra, para que os passageiros pudessem comparar os preços oferecidos por diversas companhias aéreas. Trump também eliminou a proposta do governo Obama que as obriga a informar às agências reguladoras o valor da receita obtida com tarifas adicionais, como pagamento de compartimento exclusivo de bagagem de mão e escolha de assento.

A Casa Branca disse em seu anúncio que os regulamentos resultavam em “poucos benefícios para os consumidores”. Segundo um comunicado de Elaine Chao, secretária dos Transportes, “O Departamento dos Transportes quer proteger os consumidores e garantir a transparência das tarifas cobradas pelas companhias aéreas. No entanto, neste momento, não acreditamos que seja necessário a intervenção do governo para atingir esse objetivo”.

A atitude do governo provocou protestos dos ativistas que defendem os direitos dos consumidores. Charles Leocha, fundador da Travelers United, disse que o departamento estava sendo “omisso” e queixou-se que “sem dados disponíveis nas agências de viagem e na internet, é impossível comparar preços”. Em uma coletiva de imprensa, Chuck Schumer, líder do Partido Democrata no Senado, afirmou que: “Em sua campanha eleitoral Donald Trump disse que defendia os interesses das pessoas comuns. Então, por que privilegia os mais poderosos?”

Desde 2015, todas as companhias aéreas europeias precisam divulgar o custo de cobranças adicionais, obrigatórias ou não, antes das reservas serem feitas. Essa medida, que faz parte dos regulamentos da União Europeia para o setor de aviação, resultou em uma concorrência maior entre as companhias aéreas, com a consequente redução de tarifas e o melhor atendimento aos clientes.

A eliminação da obrigatoriedade de divulgação das tarifas de bagagens despachadas não afetará apenas os passageiros de voos domésticos. Na primeira semana de dezembro, a Delta Air Lines, a terceira maior companhia aérea americana, anunciou a cobrança de tarifas por bagagens despachadas em voos internacionais. A partir de 10 de abril de 2018, os passageiros da classe econômica em voos para a Europa e a África terão de pagar US$60 pela primeira bagagem despachada e US$100 pela segunda. Sem a divulgação das tarifas no momento da compra da passagem, a cobrança na hora do embarque pode surpreender os passageiros.

Fontes:
The Economist-Why the Trump administration has enraged flyers across America

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *